mekong hotel

Doclisboa’12: Etnografia, Adolfo e Apichatpong Weerasethakul

22 de Outubro – À tarde, sessão especial dupla de João Pedro Rodrigues, com dois documentários da década de 90, no âmbito do lançamento do livro de Filomena Silvano, De Casa em Casa – sobre um encontro entre Etnografia e Cinema. Vale a pena referir que Filomena Silvano tinha também integrado a equipa do realizador em ambos os documentários. À noite, Apichatpong Weerasethakul garante sala cheia, com todo o mérito.

Esta é a Minha Casa/ Viagem à Expo – 7.5/10

Em Esta é a Minha Casa, uma família de emigrantes parte de Paris para regressar de férias à sua terra natal, em Trás-os-Montes. As imagens da viagem de carro, onde nunca falta a música popular portuguesa, são alternadas com momentos da sua vida profissional em Paris e com a chegada à terra. Um retrato ainda filmado que continua perfeitamente actual, tocando aspectos como a imigração, a ligação à terra e o Verão em muitas aldeias portuguesas.

Um ano mais tarde, em Paris, a mesma família ouve nos media franceses a promoção à EXPO 98, em Lisboa.  Fazem uma Viagem à Expo, onde desta vez as crianças estão incluídas. A mesma família de emigrantes, num País que é o seu mas que em que são dominados pelo espanto do que não conhecem e que os fascina. O Oceanário, a praia, o Cristo-Rei, o teleférico e até mesmo o Estádio da Luz, são todos descobertos, em pequenas viagens que são geográficas mas também emocionais.

Fado Canibal – 7.5/10

Integrada na secção Verdes Anos, esta é uma curta-metragem produzida pela Universidade Católica do Porto, com realização de Timóteo Azevedo.

O filme centra-se em Adolfo Luxúria Canibal, vocalista e letrista dos Mão Morta. Contudo, quando questionado sobre a sua profissão, Adolfo afirma que é jurista e assume a música como uma espécie de hobbie que tem. É muito com base nesta separação que se desenvolve a história: por um lado, o homem de família que é filmado no sofá com o gato ao colo e, por outro, o músico e performer. Esta distinção é feita não só pelo próprio mas por vários amigos, ligados ao meio musical. Estes testemunhos intercalam-se com concertos dos Mão Morta e com cenas da vida pessoal, estabelecendo-se assim o paralelismo.

Um documentário com uma construção narrativa e cor interessantes, sobre uma figura relevante do panorama artístico português.

Ashes – 8.5/10

Numa colaboração com a MUBI e a edição MUBI da câmara LomoKino, o realizador tailandês Apichatpong Weerasethakul apresenta uma curta-metragem lomográfica com um final digital.

Para além das metáforas muito próprias sobre a Tailândia, há espaço também para os detalhes mais intimistas, como a rapariga que pinta as unhas e outros pormenores do quotidiano. Belíssimas imagens abundantes em cor e uma nova interpretação a cada visualização.

Esta curta-metragem poder ver vista gratuitamente e na íntegra aqui.

Mekong Hotel – 8/10

Em ante-estreia, o filme foi exibido após Ashes a pedido do realizador. Apichatpong Weerasethakul é conhecido pelas suas narrativas pouco convencionais e pelos planos estáticos simetricamente enquadrados e em Mekong Hotel não foge ao seu estilo próprio.

O Hotel Mekong situa-se no nordeste da Tailândia, onde o rio Mekong marca a fronteira com o Laos. O conhecimento deste facto ajuda a uma melhor compreensão de certos elementos. De facto, e como em outros filmes do realizador, o que seria necessário era um conhecimento profundo sobre a cultura Tailandesa e os seus mitos e aspectos de espiritismo.

Neste filme, documentário e ficção misturam-se, levando ao extremo a proposta da secção Riscos, as fronteiras entre ficção e documentário. Filmado durante as cheias que assolaram a Tailândia em 2011, o filme não esquece essa componente social ou as tensões com os refugiados do Laos, misturando estes elementos com o rio sereno e com uma mãe que vive só em espírito e tem hábitos vampirescos. O som da guitarra clássica ao longo de todo o filme é factor de coesão assim como o final, numa conclusão excessiva, no bom sentido da expressão.

*Por opção da autora, este artigo foi escrito segundo as normas do Acordo Ortográfico de 1945.

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Rodrigo Guedes de Carvalho SIC
Março. Rodrigo Guedes de Carvalho e Ricardo Araújo Pereira dominam top de audiências