De 20 de outubro a 2 de dezembro estará em cena na Sala Estúdio do Teatro Nacional D. Maria II (TNDMII) o espetáculo “Gil Vicente na Horta”, uma encenação de João Mota.

 

Um espetáculo que pretende aludir aos demais autos e farsas criados por Gil Vicente, tendo por base sempre O Velho da Horta é o que João Mota, encenador e diretor artístico do TNDMII, nos propõe para o fim da temporada.

A ideia surgiu, afirma João, por fazer 500 anos desde a primeira representação, frente a D. Manuel I e ainda por Gil Vicente conferir “uma atualidade extraordinária”.

N’O Velho da Horta a personagem principal – o velho – deixa-se levar por ingénuas ilusões e acaba por desmaiar; o mesmo acontece neste espetáculo. Contudo, durante o desmaio do velho, o encenador propõe uma viagem por diversas obras de Gil Vicente tais como “Todo o mundo e ninguém”, “ Barca do Inferno”, “Auto da Cananeia”, “Auto da Alma”, “Auto da Festa”, “Auto Pastoril Português”, “Tragicomédia do inverno e verão” e, por fim, “Auto da Índia”.

O velho, no qual João Grosso realça as debilidades físicas e emocionais, imprimindo-lhe uma forte carga dramática, dá início à representação e pelo palco continua, durante a hora e meia de espetáculo. O espectador é assim convidado a viajar pelos sonhos-pesadelos da personagem, onde é exaltada a vitória da juventude contra a velhice e a morte.

Um banco de jardim compõe o cenário. O desenho de luz e o uso de cores ‘quentes’ contribui para a viagem ao inferno, paraíso, horta e mar. Os figurinos executados por Carlos Paulo conferem também a qualidade que é esperada num Teatro Nacional. Contudo, numa revisitação de um clássico do “pai do teatro português”, João Mota tem a ousadia de modificar certos diálogos não deixando, porém, de manter o sentido dos mesmos mantendo a “musicalidade e poesia presentes em Gil Vicente”, afirma.

 

 

 

 

 

 

 

Na interpretação, recém-licenciados da Escola Superior de Teatro e Cinema (ESTC) e atores “da casa” trabalham em conjunto através de um protocolo assinado pelo teatro com a escola.

Os espetáculos podem ser assistidos de quarta a sexta-feira às 11 horas, sábado as 21h15 e domingo às 16h15 na sala estúdio do Teatro Nacional e está classificado para maiores de 12 anos.

Fotografias de Rita Sousa Vieira