Foi anunciado esta sexta-feira, em Oslo na Noruega, pelo Comité Nobel da Academia Real Sueca, que a União Europeia é a vencedora do Prémio Nobel da Paz de 2012 devido ao seu contributo para a paz de um continente que, ao longo dos anos, foi assolado por conflitos mas que sempre abriu caminho para a reconciliação entre os povos.

Este prémio foi atribuído com base no que o Comité considera ser uma Europa unida, democrática e defensora dos direitos humanos. No comunicado emitido pela Academia Sueca não foi esquecida a crise que a UE atravessa, considerando que existem “graves dificuldades económicas e agitação social considerável” mas que o prémio é atribuído sobretudo com o intuito de manter a União nos “eixos”: “Considerámos que a atribuição deste prémio seria importante para enviar uma mensagem à União Europeia“.

No mesmo comunicado, o Comité acrescentou que a decisão de galardoar a UE foi consensual entre os jurados, que consideraram que, apesar da crise, o principal objectivo da União já foi cumprido: salvaguardar a união entre povos e os interesses dos mesmos. O comunicado foi concluído com a seguinte declaração: “O papel estabilizador da União Europeia ajudou a transformar a maior parte da Europa, um continente de guerra, num continente de paz”.