O processo de privatização ou concessão da RTP só deverá ser lançado no próximo ano. Assim o indica o Orçamento de Estado para 2013 (OE 2013), que prevê indemnização compensatória para a estação pública.

De acordo com o Jornal i, o OE prevê que a RTP mantenha, no ano que vem, o atual modelo de gestão, atribuindo-lhe 40 milhões de indemnização compensatória pela prestação do serviço público de televisão e rádio.

Estes 40 milhões são metade do que o ex-administrador da empresa, Guilherme Costa, defendeu como sendo o financiamento ideal para a RTP no próximo ano caso fossem cumpridos os parâmetros previstos no Plano de Sustentabilidade Económica e Financeira. No entanto, o próprio plano, que numa primeira instância chegou a ser avançado como forma de evitar a privatização do canal, não está a ser aplicado e não se sabe quando o será.

O valor agora inscrito no OE 2013 será também menos de metade da indemnização compensatória de 2012. O Governo, que anteriormente avançou o processo de privatização de um canal até ao fim de 2012, parece agora recuar perante a indecisão relativamente aos vários cenários alternativos.