De toda a extensa discografia dos fab4 a canção Hey Jude foi considerada pelos britânicos a melhor de sempre.

A canção é composta pela dupla McCartney/Lennon, a mais usual em todas as canções dos Beatles,  foi lançada em 1968 no lado A do single Hey Jude/Revolution, cujo produtor foi George Martin. Foi também a canção mais vendida do grupo de Liverpool e eleita pela revista Rolling Stone a 8ª maior música de todos os tempos, sendo também uma canção de longa duração, com 7 minutos, algo pouco comum para passar na rádio.

Na passada sexta-feira (dia 5 de outubro) os britânicos The Beatles comemoraram os 50 anos após o lançamento do primeiro single Love Me Do, de 1962, mas ao que parece a canção que mais ficou na memória e corações dos ouvintes e votantes da rede britânica BBC foi  Hey Jude, que ultrapassou clássicos como Yesterday e Let It Be, que ficaram logo a seguir nas votações em 2º e 3º lugares. Esta votação envolveu 12 mil pessoas que participaram no programa intitulado My Beatles Story Day, de comemoração do 50º aniversário do primeiro single, onde os participantes contaram as memórias em comum com a banda da sua juventude.

Sobre a letra em si a principal versão conta  que a letra foi inspirada na separação de John Lennon e Cyntia Lennon (a sua 1ª esposa) na altura em que este começa o caso com Yoko Ono. McCartney sentiu que deveria compor algo que animasse o filho de ambos – Julian Lennon – que estava a sofrer muito com a separação dos pais. O título original da canção teria sido “Hey Jules”, conta Paul McCartney«I started with the idea ‘Hey Jules,’ which was Julian, don’t make it bad, take a sad song and make it better. Hey, try and deal with this terrible thing. I knew it was not going to be easy for him. I always feel sorry for kids in divorces … I had the idea [for the song] by the time I got there. I changed it to ‘Jude’ because I thought that sounded a bit better.» O filho de Lennon só saberia esta versão da história 20 anos passados. No entanto, existem versões diferentes, do próprio John Lennon, por exemplo, que disse em algumas entrevistas acreditar que a canção tinha sido escrita para ele.

A canção encontra-se ainda no CD Anthology 3 uma compilação da Apple Records lançada em 1996, já depois da separação da banda em 1970. A canção foi ainda recentemente interpretada por Paul McCartney na cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos, este ano em Londres.

Nas preferências dos fãs britânicos deste programa da BBC ficaram listadas ainda canções como All We Need Is LoveEleanor RigbyHere Comes The SunThe Long and Winding RoadShe Loves You,I Want To Hold Your Hand e Strawberry Fields Forever.