As linhas de Wellington, filme realizado por Valeria Sarmiento, conjuga o que de melhor há no cinema francês e português e estreou quinta-feira, dia 4, nos cinemas portugueses.

O filme conta a história das terceiras invasões francesas a Portugal, com particular destaque para a forma como o general Wellington construiu as suas linhas – as famosas linhas de torres – que condicionaram a ação do inimigo francês, entre a abordagem das condições sociais que foram impostas à população num período de guerra.

É sobre a terceira invasão dos franceses em Portugal, como os portugueses a viveram. Eu penso que é importante recordar, num momento difícil em que está a Europa, que ela foi construída a partir de muitas guerras“, explicou à agência Lusa a realizadora chilena durante a rodagem do filme.

Para além de contar com um amplo elenco de atores portugueses como Soraia Chaves, Maria João Bastos e Nuno Lopes, esta longa-metragem conta também com a participação do conceituado ator americano John Malkovich, que conta com uma longa carreira na indústria cinematográfica de Hollywood e a nomeação para os prémios máximos da academia com os filmes Na linha de Fogo (1993) e Um lugar no coração (1984).

As linhas de Wellington foi apresentado no 69º festival de Veneza, que decorreu na cidade italiana que lhe dá o nome entre os dias 29 de agosto e 8 de setembro e foi o único filme português na corrida para o prémio máximo do festival, o Leão de Ouro. Trata-se de uma das produções mais ambiciosas de sempre do cinema português, que foi recebida internacionalmente com muito boas críticas.

Esta semana trazemos uma estreia da semana um pouco diferente. Entre os oito filmes que estreiam nos cinemas nacionais, o destaque vai para este As Linhas de Wellington, o projeto começado por Raul Ruiz, falecido durante a rodagem, e terminado pela sua esposa. A produção está a cargo de Paulo Branco.