Uma Fuga Perfeita é um thriller norte-americano realizado por David Twohy e conta a história de um jovem casal, Cliff e Cydney, que resolvem passar a sua lua-de-mel a percorrer os trilhos do Havai. Contudo, um crime ocorre perto da ilha e estima-se que os assassinos tenham escapado para bem perto do local onde o casal se encontra.

A trama, à primeira vista, não parece muito complicada, aliás, o escasso número de personagens quase que nos entrega os assassinos. Temos uma ilusória certeza de quem são eles, mesmo com a distração do que seria claro. Aliás penso que quem viu o filme, incluindo eu, sentiu-se inteligente por pensar que tinha escapado às armadilhas do que seria os assassinos óbvios, para pensar ter descoberto os verdadeiros. Talvez seja de estarmos habituados às séries policiais em que o culpado não é quem parece, mas sim o menos evidente de todos. E, de facto, neste filme assim é. Porém, o twist da história é de tal maneira impensável que duvido que alguém tenha imaginado tal final.

Temos essencialmente três casais na ação: os recém casados Cliff, um argumentista de cinema, e Cydney – interpretados magistralmente por Steve Zahn e Milla Jovovich – que encontram no caminho um outro casal a quem oferecem boleia. Contudo acabam por seguir sozinhos quando Kale (Chris Hemsworth) recusa a ajuda e arrasta Cleo (Marley Shelton) de forma um tanto violenta para fora do carro.

Já no trilho encontram Nick, um veterano de guerra que se faz acompanhar por várias armas, e a sua namorada Gina. E é na sua companhia que ficam a saber que andam dois assassinos à solta, provavelmente um casal. É nesta altura que Cliff começa a desconfiar de todos à sua volta, enquanto coisas estranhas lhe vão acontecendo.

A nível interpretativo o casal “certinho” arranca nota máxima, principalmente Milla Jovovich que imprime um crescendo emocional notável, revelando as várias facetas de Cydney. A sua beleza é também bastante evidenciada na trama, sendo que os primeiros planos da sua personagem são constantes. Contudo, quem mais me chamou a atenção foi a atriz Kiele Sanchez que interpreta Gina: se a sequência final é de cortar a respiração é muito devido ao seu desempenho.

Um dos pontos fortes do filme é a fotografia: filmado quase na sua totalidade em ambiente diurno, toda a atmosfera e beleza do Havai são brilhantemente captadas através de planos gerais, em contraste ao horror da história. De resto a maioria das cenas são mostradas a médio plano com exceção, como já referi, de alguns closes a Cydney.

Existem, porém algumas incongruências no argumento que não sei se foram falhas ou estratégia para despistar o público dos verdadeiros assassinos. Ainda assim a trama não fica em nada comprometida.

Apesar de ser um filme datado de 2009, A Fuga Perfeita, só agora é que estreia em Portugal. E nem sei como, uma vez que foi um flop de bilheteiras, o que também não compreendo, pois é um filme bastante agradável de ver e que cumpre a sua função de entretenimento e suspense. E nem a presença de Chris Hemsworth conseguiu atrair mais público. Espero sinceramente que não se passe o mesmo no nosso país, pois este filme merece o nosso aplauso, reconhecimento e, principalmente, a nossa atenção.

7.5 /10

Ficha Técnica:

Título Original: A Perfect Getaway

Realizador: David Towhy

Argumento: David Towhy

Elenco: Chris Hemsworth, Kiele Sanchez, Marley Shelton, Milla Jovovich, Steve Zahn, Timothy Olyphant

Género: Ação, Suspense, Thriller

Duração: 97 minutos