O Queer Lisboa selecionou documentários de grande impacto social e politico para exibir nesta edição, como um meio de sensibilizar o público para assuntos de extrema importância na sociedade. É o caso de United in Anger – A History of ACT UP de Jim Hubbard que se centra no movimento ativista ACT UP, the Aids Coalition to Unleash Power e as várias iniciativas que forçaram o governo americano a lidar com a crise da SIDA.

Para além do documentário, o Queer Lisboa apresentou na quarta-feira a sessão de curtas, as longas-metragens em competição Woman’s Lake e Mosquita y Mary, que abordam as relações lésbicas, e o filme King of Comics sobre o cartoonista alemão Ralf Konig, com um trabalho artístico memorável.

United in Anger: A History of ACT UP – 8/10

O documentário revolucionário e provocador aborda um dos temas mais controversos da nossa sociedade e que ainda é tabu em certas comunidades, falamos do vírus da SIDA. É necessário alertar o público e incentivá-lo a ter um papel ativo na prevenção e tratamento desta infecção que mata milhares de pessoas por ano.

O filme relata a história do movimento ACT UP, que inicialmente era constituído por um grupo reduzido de pessoas, mas que conseguiu crescer, ganhando grande visibilidade na luta para mudar mundo e salvar vidas. O grupo foi formado em 1987 em resposta à incapacidade do governo em tratar e apoiar as vitimas desta doença, principalmente pertencentes à comunidade gay.

O documentário consegue acompanhar os ativistas deste grupo nas suas manifestações e vitórias, através de uma perspectiva histórica muito bem elaborada. A edição sublime deixa-nos entrar no mundo do associativismo  e das causas nobres, convidando cada um de nós a ser mais interventivo, de modo a transformar o mundo num lugar melhor.

Após o filme emocionante, a sessão prolongou-se com um debate intitulado Unidos na Revolta, organizado pelo GAT- Grupo Português de Activistas sobre o Tratamento de VIH/SIDA, Pedro Santos e o CheckPointLx, que reuniu várias personalidades ligadas ao combate ao vírus da SIDA.

Nesta quinta-feira são exibidos os documentários Olhe para mim de NovoHabana Muda, a longa-metragem brasileira em competição internacional, A Novela das 8, a sessão de curtas especialmente dedicada à secção Queer Art e finalmente destaque para o filme Joshua Tree, 1951: A Portrait of James Dean, que será analisado aqui no Espalha-Factos.