O Plano Nacional de Cinema é um projeto que leva até 23 escolas do país uma lista de 37 filmes que serão exibidos, numa primeira fase, aos alunos dos 5º, 7º e 10º anos. A lista inclui nomes como Manoel de Oliveira, Tim BurtonSteven Spielberg, Kiarostami e Hitchcock.

A seleção tem vários critérios: a “diversidade, os vários géneros cinematográficos e as proveniências” assim como “a ligação aos conteúdos escolares”. Foi assim que Graça Lobo apresentou este projeto na Cinemateca Portuguesa, em Lisboa. A cerimónia aconteceu hoje e contou com a presença de Francisco José Viegas, secretário de Estado da Cultura, e Isabel Leite, responsável da Educação e Ensino Básico.

Num “período de intensa contenção orçamental”, como relembrou Francisco José Viegas, a iniciativa conta com a adesão voluntária de 23 escolas espalhadas por todo o país. O secretário de Estado destacou também “o grande entusiasmo” demonstrado pela equipa coordenadora do projeto e pelos agentes envolvidos.

Aniki-Bobó (1942) é um dos filmes presentes na lista

O projeto-piloto está integrado na nova Lei do Cinema e pretende “promover a literacia no cinema, bem como a formação de novos públicos”, como afirma Viegas. Para tentar incutir um “olhar crítico” aos alunos, o plano consiste na discussão da obra cinematográfica nas salas de aula e a relação entre o filme e os conteúdos letivos. Fará também parte do projeto uma ida dos alunos e professores envolvidos às salas de cinema no final de cada período escolar.

Este ano, o projeto abrangerá apenas os 5º, 7º e 10º anos mas, numa próxima fase, será alargado a todos os anos escolares.