Para além do convidado de honra Dario Argento, um dos maiores cineastas de terror europeus, a 6ª edição do MOTELx vai receber também os franceses Julien Maury e Pascal Laugier, o norueguês Pål Sletaune (membro do júri do Prémio MOTELx), o britânico Alex Chandon e ainda o italiano Jonathan Zarantonello.

Dario Argento tem direito a uma retrospetiva dedicada ao seu trabalho que se insere-se na secção Culto dos Mestres Vivos. No último dia do festival, o realizador estará presente na Sala Manoel de Oliveira para uma masterclass.

Julien Maury, um dos maiores herdeiros de Argento, apresenta no MOTELx Livid, o seu segundo filme em colaboração com o realizador Alexandre Bustillo. Julien Maury apresenta uma longa-metragem que foge às estruturas narrativas convencionais, apresentando uma fábula negra e atmosférica. Pascal Laugier, autor do polémico Martyrs (MOTELx 2009), que lhe garantiu, tal como a Maury, um lugar no novo cinema de terror francês, regressa com o thriller The Tall Man.

Pål Sletaune foi, em 1998, um dos nomes destacados na lista dos 10 realizadores mais promissores a nível mundial, da Variety. Com todos os seus filmes selecionados para festivais de cinema, como Cannes, Veneza e Toronto, Sletaune é membro do júri internacional do Prémio MOTELx – Melhor Curta de Terror Portuguesa 2012. O realizador, que ficou também conhecido por ter recusado realizar  Beleza Americana, vem ao festival apresentar ainda a sua quarta longa-metragem Babycall, protagonizada por Noomi Rapace.

Alex Chandon traz ao MOTELx o seu terceiro filme Inbred, uma homenagem às comédias gore anárquicas dos anos 80 como Evil Dead 2, Bad Taste ou Re-Animator. Inbred é uma comédia gore reminiscente dos Monty Python, que alterna momentos de tensão com o famoso humor britânico. Já Jonathan Zarantonello vem a Lisboa apresentar o seu primeiro filme The Butterfly Room, depois da Premiere em Bruxelas no passado mês de julho.

O MOTELx realiza-se de 12 a 16 de setembro no Cinema São Jorge, em Lisboa.

Inês Moreira Santos