Fan Weixin, um dos mais experientes tradutores chineses de português, assinou a versão chinesa do romance de José Saramago Ensaio sobre a Lucidez. Prevê-se que seja lançado até ao final do ano, disse hoje à agência Lusa fonte da editora.

Ensaio sobre a Lucidez, publicado em 2004, será lançado na China pela Thinkingdom Media Group, uma editora privada, onde já constam obras de Gabriel García Marquez,  Haruki Murakami, Toni Morrison e Paulo Coelho. Este é o terceiro título de José Saramago publicado na China, depois de Memorial do Convento e Ensaio sobre a Cegueira, ambos traduzidos por Fan Weixin.

O romance de José Saramago constitui uma representação realista da grande questão das democracias do mundo moderno: serão verdadeiramente democráticas? Terão nelas os cidadãos, os eleitores um papel real ou meramente simbólico?

A editora tenciona, também este ano, reeditar Ensaio sobre a Cegueira e Memorial do Convento no próximo, adiantou a mesma fonte da editora.

O Nobel da Literatura fez apenas uma visita à China, um ano antes de ser distinguido pela Academia Sueca. Visita essa que coincidiu com o lançamento da tradução chinesa de Memorial do Convento.

Fan Weixin, 72 anos, é jornalista reformado da secção portuguesa da Rádio Internacional da China e fez parte da primeira turma de português criada na Republica Popular da China, em 1960. Já traduziu mais de uma dezena de obras de outros autores portugueses e brasileiros, entre os quais Jorge Amado, Erico Veríssimo, Eça de Queiroz e Miguel Torga.