360: A vida é um circulo perfeito é o título do novo filme do realizador de Cidade de Deus, Fernando Meirelles e estreia hoje nas salas de cinema portuguesas. Desta vez o cineasta brasileiro quis apostar em várias histórias, que se entrecruzam em diversas cidades do mundo. Ideia que se tornou muito comum em filmes contemporâneos como Babel, MagnoliaDia dos Namorados, Noite de Ano Novo, entre muitos outros.

O filme 360 acompanha a vida de muitas personagens, que se ligam ao longo do percurso. Temos a prostituta eslovaca Mirka, que pretende subir na vida, entrando numa rede sexual e enganando homens de negócios como Michael Daily.  Michael, por sua vez, mantém-se fiel à sua mulher Rose e falta ao encontro com Mirka, mas como em tudo na vida, as suas decisões tiveram um preço muito alto a pagar. Já Imman encontra-se apaixonado pela russa Valentina, mas ela é casada com um homem que tem um trabalho duvidoso.

A partir desta storyline, há um aglomerado de reviravoltas e ligações impensáveis, que põem em causa o próprio caráter dos intervenientes. Infelizmente os diversos núcleos da história não foram desenvolvidos de igual forma, deixando algumas lacunas nos pequenos contos de vida. Devido à quantidade infernal de personagens, nenhuma delas foi aprofundada de forma adequada e muito ficou por dizer para o público se envolver verdadeiramente na trama.

O método de realizar um filme com base numa multiplicidade de histórias da vida real está a tornar-se moda nas produções cinematográficas contemporâneas. Ou temos filmes com um pequeno número de personagens, mas que percorrem várias capitais do mundo, como em Largo Winch, ou visualizamos filmes que decidem apostar em muitas histórias que se desenvolvem na mesma cidade, como as românticas longas-metragens Paris je t’aime e New York, I love you, ou  as que assinalam datas importantes como O dia dos Namorados ou A Noite de Ano Novo.

Apesar da ideia não ser muito original a forma como o filme foi estruturado tornou-se sublime, chegando a ser belo o seu visionamento. Em todo o filme, a música ganha uma intensidade e um papel preponderante, estabelecendo o ambiente de cada cena. Tecnicamente, os cortes e as transposições de planos transmitem maior ritmo e um caráter mais cómico e ligeiro às sequências.

Com boas intenções estéticas e algumas complicações na história, este filme é um belo exemplo de que é possível escrever-se um guião mais centrado na realidade europeia e menos contaminado pela produção cliché americana. É bom ver obras cinematográficas com outro estilo e  visão do mundo.

7/10

Ficha Técnica:

Título Original: 360

Realização: Fernando Meirelles

Argumento: Peter Morgan, Arthur Schnitzler

Elenco: Lucia Siposová, Jude Law, Rachel Weisz, Anthony Hopkins

Género: Drama, Romance

Duração: 110 minutos