Se vivem em Portugal, são interessados em música independente e nunca ouviram falar na Lovers & Lollypops, das duas, uma: ou não são interessados o suficiente, ou não têm acesso à internet (pelo que estão, ao ler este artigo, possivelmente a desafiar o continuum espácio-temporal).

Esta relevância que a L&L tem vindo a ganhar ao longo dos últimos anos deve-se não só ao vasto e maravilhoso catálogo que a editora tem lançado, mas também ao Milhões de Festa, o festival que desde 2007 faz com que o Norte se torne, por alguns dias, na capital oficiosa da música alternativa e independente em Portugal.

Pelo papel que a L&L desempenha na música nacional, decidimos dedicar um artigo com pequenas análises a três recentes lançamentos da editora nortenha: Rockuduro dos Throes + The Shine, Titans dos Black Bombaim e o homónimo dos Alto!.

RockuduroThroes + The Shine

Foi em 2011 que nasceu este projecto, fruto da combinação de dois mundos, à partida, opostos: o Indie Rock dos Throes e o Kuduro dos The Shine. Esta inusitada fusão começou a dar frutos ainda no final do ano passado, com um single, de seu nome Batida, que me deixou extremamente entusiasmado para o disco que se seguiria. Rockuduro, lançado a 21 de Maio, tem em Batida o seu ponto mais alto, mas é certo que não é, de todo, refém dele. A originalidade da mistura do Indie Rock corrosivo e directo com o Kuduro viciante e dançável é, sem dúvida, uma constante que eleva este disco a um patamar de qualidade bastante elevado. A estética, suja e crua, alia-se a um ritmo imparável que faz com que seja impossível ouvir-se este álbum sem começar a dançar. É certo que há pontos menos bons que lhe retiram algum do élan, mas a verdade é que Rockuduro é uma estreia incrivelmente sólida e consistente.

Pontos altos:

  • Adrenalina
  • Batida
  • Tá Maluca

Nota Final: 8.1/10

 

Titans Black Bombaim

Autênticos “pesos pesados” da Lovers & Lollypops, os Black Bombaim são, indubitavelmente, o nome forte do Stoner Rock em Portugal, e uma das bandas lusas com melhor imagem lá fora. Titans, lançado a 6 de Maio, é o terceiro lançamento do trio barcelense e, convenhamos, é um portento que faz jus ao seu nome. Ao longo dos 64 minutos deste duplo LP os Black Bombaim mostram, mais uma vez, uma sonoridade forte e distinta, que tem raízes e base no Stoner Rock (primariamente) instrumental mas que vai jogando com influências, tons e padrões mais pesados, psicadélicos e espaciais. Outro elemento que faz de Titans um grande disco é a questão das colaborações: grandes nomes nacionais, como Adolfo Luxúria Canibal (Mão Morta) e Ghuna X, juntam-se a figuras como Steve Mackay (saxofonista em Fun House, dos The Stooges) e Isaiah Mitchell (Earthless), formando um elenco verdadeiramente titânico. Apesar de por vezes poder parecer um bocado saturador e disperso, devido à sua extensão, Titans é um disco que faz questão de nos envolver por completo e levar-nos numa incrível viagem musical. Avassalador.

Pontos altos:

  • Side B
  • Side C

Nota Final: 8.5/10

 

Alto! Alto!

Depois de dois EP’s (See You in Hell em 2009 e Computer says NO. em 2010), eis que chega a estreia em longa-duração dos Alto!. O LP, homónimo, foi lançado a 22 de Fevereiro, e conta com 10 faixas cheias de um Garage Rock cru, suado e extremamente infeccioso. Apesar de trazer uma sonoridade que evoca claramente a inspiração vinda do Proto-Punk de Michigan de grupos seminais como The Stooges ou MC5,  Alto! está, no entanto, muito longe de ser uma mera tentativa de emular o som destas bandas; pelo contrário, neste LP o quinteto barcelense faz questão de misturar influências, juntando às guitarras sujas de Bruno Costa e Ricardo Miranda e aos vocais roufenhos e vigorosos de João Pimenta um teclado, também a cargo de Ricardo Miranda, que faz lembrar imenso as teclas de Ray Manzarek (dos The Doors). Resumindo, apesar de a meio perder algum do fulgor e de por vezes parecer um bocadinho repetitivo, a verdade é que este Alto! é um disco promete fazer as delícias de quem gosta de Garage Rock forte e sujo. Arrisco-me até a dizer: Ron Asheton ficaria orgulhoso.

Pontos altos:

  • Quai de la Marne
  • Carrer de la Muntanya
  • Rathausplatz

Nota Final: 7.5/10

Para saberem mais sobre a Lovers & Lollypops:

Para escutarem/comprarem os discos acima referidos (e muitos outros):

*Por opção do autor, este artigo foi escrito segundo as normas do Acordo Ortográfico de 1945