A novela Dancin’ Days da SIC inclui na sua intriga a história de um casal gay. Aníbal, interpretado por Vítor Norte, assume uma relação com um homem em detrimento do seu casamento com Áurea (Custódia Gallego). A história está a dar que falar e a trama já é o produto mais visto na televisão nacional.

O tema não é muito popular na ficção nacional, mas Vítor Norte, que protagoniza este enredo, explicou ao Correio da Manhã que “estes casos fazem parte dos dias de hoje. Só não houve coragem para os levar para a ficção”. Juntamente com Paulo Pinto, o casal é apresentado na novela de horário nobre da SIC, Dancin’ Days. A produção é líder de audiências, tendo alcançado 1,5 milhões de espectadores no dia em que a personagem termina o seu casamento para começar um relacionamento homossexual.

Para Vítor Norte, este papel é um desafio. Em entrevista à TV Guia, o ator admite que “o mais difícil foi encontrar o toque, a proximidade física entre homens. Eu e o Paulo Pinto trabalhamos juntos para encontrar esse espaço”. Apesar do número de episódios dedicado a esta história ter aumentado (inicialmente a personagem Aníbal iria estar presente até ao episódio 70, mas a SIC já atribuiu 30 extra a esta história), Vítor adianta que não vão haver beijos entre o casal, apenas serão mostrados abraços e festas “como é normal entre namorados”.

Aníbal (Vítor Norte) troca o seu casamento com Áurea (Custódia Gallego) por uma relação com Germano (Paulo Pinto)

O aumento da presença deste tema na televisão portuguesa é visto como um bom começo tanto pela Intervenção Lésbica, Gay, Bissexual e Transgénero (ILGA) como pela Opus Gay. Mas mesmo assim, Paulo Corte-Real, presidente da ILGA, afirma que a ficção nacional “está muito longe de atingir a maturidade” referindo que a representatividade de casais gays é bastante reduzida e que não são mostradas “manifestações de afeto, com divergências e problemas”. António Serzedelo, presidente da Opus Gay, reconhece que a SICtem mostrado alguma abertura” para estas questões, relacionando o assunto com a ligação existente entre o canal português e a Rede Globo.

Esta oportunidade de retratar a realidade é, para Vítor Norte, “uma forma de dar uma certa dignidade aos homossexuais. Às vezes, nas novelas o tema é tratado com uma certa leveza e é interessante abordar de forma séria e mostrar que a homossexualidade não é uma doença“. O ator relembra também que este tema é inevitável de abordar, “as pessoas estão mais abertas. Não se pode julgar ninguém pela orientação sexual.”