O último festival de verão nem parece de verão. A chuva intensa e os ventos fortes que se abatem desde a noite de ontem sobre Paredes de Coura cheiram a inverno. Mas se, tal como uma boda, festa molhada for abençoada, então, as Bodas de Porcelana do festival, prometem.

A primeira noite começou com os portugueses a darem cartas. Brass Wires Orchestra, Salto e LEAGUE foram oferecendo aos festivaleiros o melhor da nova música portuguesa debaixo da tenda gigante ocupada pelo Palco Vodafone FM, com pouco mais de duas mil pessoas.

Já depois da uma da manhã os resistentes puderam ouvir o kitsch afro-pop “fachadês”. Criôlo, com as suas “cantigas de escárnio e maldizer“, parece ter sido lançado no momento certo para B Fachada ser o cabeça de cartaz no arranque do festival.

Para encerrar a noite, Quim Albergaria foi o entertainer de serviço, desfiando hinos da pop entrecortados pelo seu discurso apelando ao amor e à felicidade.

Os concertos, que hoje se mantêm pelo mesmo palco, seguem esta noite com Sun Araw, Japandroids, tUnE-yArDs, Stephen Malkmus & The Jicks, Friends, os portugueses PAUS e o DJ set de Nuno Lopes.

A chuva obriga a restrições – há toda uma logística de impermeáveis, galochas,  guarda-chuvas e outros meios de salvação – mas, tal como entoado ontem por Quim Albergaria: a chuva não manda aqui!

Fotos: Mariana Agria