Menos de um mês depois da sua última aparição em Portugal, no festival Optimus Alive!, os LMFAO voltaram a pisar solo nacional. Muitos portugueses decidiram deslocar–se ao Centro Hípico de Vilamoura para verem a dupla, que tem mexido com todos os tops mundiais. Infelizmente e pela terceira vez, a dupla não foi dupla. Apenas Redfoo esteve presente. No entanto, mesmo sem SkyBlu, a festa fez-se e da melhor maneira.

A abertura do concerto fez-se com Diego Miranda, que preparou os pés de todas as pessoas, desde os mais novos, acompanhados pelos pais, até aos adolescentes. Inicialmente tímidos, foram-se libertando música após música, até começarem a cantar e saltar. Ouviram-se êxitos como Laserlight e Without You de David Guetta ou Good Feeling de Flo Rida.

Por volta da meia noite, os LMFAO surgem em palco e Redfoo inicia o espetáculo de dezoito músicas com a pergunta “Who came to party rock?” e avança a música Sorry for Party Rocking. Toda a gente acompanhava a música com alguma histeria. Seguiu-se um concerto muito animado, tanto pelas músicas, como Get Crazy, I’m in Miami Bitch, Getting Over You e Shots, como pelos intervenientes, que dançavam com as suas coreografias excêntricas.

Redfoo teve uma participação mais do que ativa, atirando ao público deixas como “Vocês são os melhores fãs”, “Adoro isto! Pessoas que sabem estar juntas e se sabem divertir” e “Vou sentir falta disto. Vocês são lindos”. Abundaram também expressões como “party rock” e “party people”. À semelhança de outros concertos, houve também lugar para os confetis, bolas de praia a serem distribuídas pelo público e fumos saídos do palco (e não só). Os maiores êxitos da banda estavam guardados para o fim, começando com Party Rock Anthem, passando por Champagne Showers e acabando, sem surpresa, com Sexy and I know it. Por esta altura já estava um outro público presente, meio fora de si e bem mais agitado, alegre e explosivo do que se podia encontrar no início.

O concerto podia dar-se por terminado, mas ainda houve tempo para ouvir Redfoo passar música electrónica, permitindo às pessoas mais uns minutos de dança e diversão. No ecrã lia-se “Beat Rock. The party’s in your hand”. Por esta altura já as famílias deixavam o recinto e lentamente outras pessoas iam também saindo. O concerto terminou por volta da uma e meia da manhã e as pessoas abandonavam em massa o recinto, com os pés cheios de terra e sorrisos cansados no rosto.

Fotos: Ruben Viegas / Everything is New