A equipa artística do projecto Sarha confirmou hoje a sua saída da Capital Europeia da Cultura (CEC), criticando a falta de capacidade da produtora responsável pelo evento, o Centro de Criação de Teatro e Artes de Rua (CCTAR), em comunicado enviado à Agência Lusa.

A decisão definitiva veio depois de uma reunião, na passada quarta-feira, em que os artistas apresentaram ao CCTARuma lista de recursos humanos, técnicos e materiais necessários, de cumprimento das condições contratuais, logísticas e requisitos de produção” para realizar um projecto com três eventos, que procurava estabelecer ligações entre Guimarães e Jenin, na Palestina. Os artistas afirmam que o CCTAR, “uma vez mais, falhou na concretização destas básicas e fundamentais requisições dentro do tempo acordado para o efeito” e que lhes permitiria, “pese embora com esforço, tentar levar a cabo o projecto“.

O Sarha era uma produção do CCTAR para a Guimarães 2012 com o Freedom Theatre, da Palestina, que integrava três ações – uma exposição, um concerto e um espectáculo de rua – e foi no final da primeira, a apresentação de duas faixas bordadas com 15 metros, uma executada por mulheres de Janin e a outra por mulheres de Guimarães, que, na segunda-feira, os artistas anunciaram ao público a sua decisão de abandonar a CEC.

Perante as divergências dos artistas com a CCTAR, os responsáveis pela CEC anunciaram aguardar para quinta-feira passada explicações dos produtores do projeto Sahra, após as quais iriam perceber se haveria condições para o manter e, de qualquer modo, reservando-se “o direito de reavaliar a continuidade do projeto“.

Interrogada pela Lusa, uma fonte oficial da CEC afirmou “desconhecer o comunicado dos artistas” e ainda aguardar o resultado da “procura de consenso entre as partes“, em conversas que a CEC sabia estarem a decorrer. Aguardando uma comunicação dos artistas e da produtora, os responsáveis da CEC reservam-se “o direito de tomar as acções que achar convenientes” em função do que acontecer a este projecto encomendado à CCTAR, que tem direção artística de Renzo Barsotti.

No comunicado, o grupo, que inclui artistas da Macedónia, Dinamarca, Turquia e Palestina, afirma que demonstraram “inúmeras vezes as suas sérias preocupações e dificuldades relativamente à capacidade de produção do CCTAR junto da CEC – Guimarães 2012 durante semanas, mas infelizmente esta entidade apenas tomou consciência da gravidade da situação” após o seu comunicado.