O Espaço Nimas presta homenagem a Chris Marker, através de um ciclo  evocativo que decorrerá nos dias 6, 7 e 8 de agosto.

O multifacetado cineasta faleceu no dia 30 de julho na sua casa em Paris, um dia depois de comemorar 91 anos, deixando um extenso legado cinematográfico.

De entre mais de 60 obras, o documentário Le fond de l’air est rouge foi a obra escolhida para inicar o ciclo, no dia 6 às 21h enquanto que no dia 7 passa a curta-metragem La jetée juntamente com Sans Soleil, às 21h30, terminando o ciclo com Level 5, no dia 8, também às 21h30.

Para além de cineasta, Chris Marker era também fotógrafo, escritor e filósofo, trabalhando nas várias artes sempre com vista a operar inovação no cinema. Foi um dos primeiros colaboradores da revista Cahiers du Cinema e ainda um dos pioneiros da Nouvelle Vague. Colaborou com nomes como Jean-Luc Godard ou Joris Ivens, e depois iniciou uma obra em nome próprio.