Largo Winch II, Conspiração na Birmânia, estreia hoje em Portugal. É raro um filme e a sua sequela estrearem quase em simultâneo, apenas com uma semana a intercalar. Estes dois filmes já foram exibidos há alguns anos em França e talvez por estratégia ou simplesmente pela distribuição vieram parar ao grande ecrã português como um relâmpago, num pacote de dois em um.

A decisão de exibir os dois filmes em datas tão próximas não foi muito sábia, visto que os maneirismos e os guiões acabam por se confundir, tornando-se monótonos. Por vezes, os anos de espaçamento entre filmes deixam-nos descansar a mente, de modo a abrir-se para uma novidade que há-de vir, aumentando as expectativas. É assim que o mundo do Cinema e TV funciona através da expectativa. Alguém que vê uma novidade , à segunda, se não for diferente, fica aquém do que espera.

Para quem aguardava uma mudança ou resposta aos dilemas levantados na primeira longa-metragem vai se desiludir, Largo Winch II é claramente mais do mesmo. O realizador é o mesmo, o ator principal é o mesmo (neste caso ainda bem) e desta vez a substituir Kristin Scott Thomas temos Sharon Stone, a mais que comum femme fatale para apimentar a saga. A estrutura da história também pouco ou nada varia, apenas mudamos de cenário, do Leste da Europa para a selva da Birmânia, contudo as intrigas e os jogos duplos continuam a funcionar da mesma forma.

O braço direito do protagonista, a pessoa menos provável de o trair, é sempre o principal mau da fita, o senhor que, com mestria, consegue enganar e ludibriar o herói, praticamente invencível, a acreditar na sua inocência. No desenlace realiza o golpe final, deixando todo o público de boca aberta, pelo menos seria esse o intuito. O problema é que história foge muito do seu controlo, quando no final descobre-se que tudo o que espectador acreditara não era verdade. Lá vem o ditado nem tudo o que parece é. Neste caso esse lema não tem grande impacto, porque acaba por não fazer sentido. O inesperado torna-se repetitivo, pois essa ideia encontra-se imprimida nos dois filmes.

A única parte bela do filme são as paisagens exóticas da Birmânia e o desvendar do passado obscuro de Largo, relacionado com o massacre dos nativos pelas forças tailandesas. Em termos históricos e políticos, consegue ver-se a corrupção enraizada e a exploração das tribos mais fracas que vivem do sal da terra.

A BD sobre Largo Winch tem mais de 20 edições e poderia dar origem a uma série de várias temporadas bastante emocionantes. Erro foi compilar esta saga franco-belga em duas únicas longa-metragens. Ficou tanto por dizer e tanto por explicar.

5/10

Ficha Técnica:

Título Original: Largo Winch II, The Burma Conspiracy

Realização: Jerôme Salle

Argumento: Julien Rappenneau, Jerôme Salle, baseado na banda-desenhada de Philippe Fancq e Jean Van Hamme

Elenco: Tomer Sisley, Sharon Stone, Ulrich TukurNapakpapha Nakprasitte

Género: Aventura, Ação, Thriller

Duração: 119 minutos