O número de publicações editadas em papel tem vindo a registar uma diminuição. Em 2004 esse número chegou aos 1.829, ao passo que em 2010 apenas atingiu 1.363 publicações.

A acompanhar as quebras no número de publicações está, também, o volume de negócios no que respeita ao sector da imprensa escrita. O mercado tem-se ressentido, e prova disso é a redução da facturação em cerca de 11% no caso dos jornais e menos 9% nas revistas.

A contrariar a tendência das publicações impressas, regista-se “uma evolução crescente das publicações em suporte electrónico, num total de 166 em 2010”. O papel desempenhado pela Internet tem sido bastante significativo no que toca às edições jornalísticas online.

 Estas são algumas das conclusões do Estudo Sectorial Portugal da DBK sobre imprensa escrita em Portugal.