O Curtas de Vila do Conde continua a animar a cidade com a sua 20ª edição. Fica a saber como tem corrido a maratona cinematográfica.

O festival arrancou com eventos especiais comemorativos que incluíram a inauguração de uma exposição de fotografia no Teatro Municipal, o lançamento de um livro com entrevistas a autores do evento e ainda a projeção de um documentário com uma reflexão sobre o seu 20º aniversário. Foram também encomendadas quatro curtas-metragens, realizadas por Thom Andersen, Helvécio Marins Jr., Sergei Loznitsa e Yann Gonzalez.

Domingo foi dia de alguns dos pontos altos do evento, contando com a presença do realizador francês Olivier Assayas (IrmaVep, Demonlover, Clean), protagonista do In Focus, que esteve a orientar uma masterclass, após a exibição de curtas da sua autoria.

O fim de semana foi também altura de arranque da Competição Internacional, com o melhor cinema mundial em destaque, sendo a componente mais importante deste festival, e com uma diversidade de olhares distribuídos pelas categorias de ficção, animação e documentário.

Um dia depois arrancou a Competição Nacional, com uma das maiores seleções de sempre, e com um crescimento sustentado ao longo dos anos, tendo uma participação recorde de cinema português, em cinco sessões competitivas.

Esta semana foi também a oportunidade para vários encontros de realizadores. Em particular, um deles reuniu os seis diretores que fundaram este projeto: Dário Oliveira, Mário Micaelo, Miguel Dias, Nuno Rodrigues, Rui Maia e Luís Urbano.

Na quarta-feira o destaque foi para a estreia do novo filme de João Canijo, Obrigação, que retrata a relação de confiança entre a mulher e o pescador. Esta peça cinematográfica foi um enorme sucesso de bilheteira, a tal ponto que várias pessoas que queriam assistir não o conseguiram fazer, o que levou a direção a exibi-lo novamente no próximo dia 21, às 16h, no Teatro Municipal de Vila do Conde.

Durante a semana também continua a decorrer a competição do Curtinhas, o minifestival para os mais pequenos, que surgiu em 2009. Uma competição de filmes para crianças, dividida em três escalões etários (maiores de 3, 6 e 9). O júri tem a particularidade de ser composto por crianças.

Uma notícia particularmente entusiasmante para este festival surgiu diretamente da Suíça, com a promessa de uma homenagem ao Curtas Vila do Conde no 65º Festival Internacional de Cinema de Locarnoque, que decorre no próximo mês de agosto, e onde serão exibidos os quatro filmes encomendados pelo Curtas Vila do Conde: Land of My Dreams (Yann Gonzalez), O Canto da Rocha (Hélvico Marins Jr), O Milagre de Santo António (Sergei Loznitsa) e ainda Reconversão (Thom Andersen).

A cerimónia de entrega de prémios está agendada para amanhã, pelas 21 horas, num evento que está a corresponder a todas as expetativas em termos de bilheteira. Neste sábado será possível ainda assistir-se ao debate O que seria do mundo sem o cinema português?, que junta vários protagonistas do meio cinematográfico português.