O Teatro Nacional de São João (TNSJ), no Porto, e o Teatro Nacional de D. Maria II (TNDMII), em Lisboa, foram reclassificados e são agora monumentos nacionais. Segundo informação avançada pela Agência Lusa, a reclassificação dos monumentos foi hoje publicada em Diário da República, após aprovação em Conselho de Ministros a 24 de maio.

Teatro Nacional de São João

Da autoria do arquiteto José Marques da Silva, o TNSJ era já considerado desde 1982 imóvel de interesse público, sendo adquirido pelo Estado e readaptado a teatro uma década depois. Na sua história, o edifício conta com um incêndio que destruiu praticamente o edifício original, levando à sua inauguração do teatro em 1920.

O Governo justifica a reclassificação deste monumento considerando que, “na sequência do programa de requalificação e da entrada em vigor do teatro em funcionamento regular, o imóvel passou a constituir uma referência incontornável no panorama cultural do país, e foi plenamente recuperada a dignidade arquitetónica e artística deste exemplar notável da linguagem ‘beaux-arts’”.

Teatro Nacional D. Maria II

Considerado imóvel de interesse público desde 1928, o TNDMII teve também de ser reconstruído após um incêndio em dezembro de 1964 que destruiu totalmente o seu interior. Com um projeto do arquiteto Rebello de Andrade, voltou a abrir portas ao público em maio de 1978.

O Governo justifica esta reclassificação, afirmando que, “de facto, e desde a sua construção em 1846, inspirada por Almeida Garrett, o TNDMII veio constituir uma referência cultural incontornável, unindo o seu papel de sala de espetáculos e escola de arte dramática ao valor arquitetónico e artístico de uma das obras mais emblemáticas do neoclassicismo de raiz palladiana que Lisboa possui, e que se impõe como elemento estruturante da principal praça da baixa Pombalina”.