Foi num ambiente descontraído que a organização do festival swTMN apresentou ontem, no espaço TMN ao Vivo, o cartaz da 16.ª edição, com um showcase enriquecido pelas atuações de Orelha Negra e DJ Ride.

O festival organizado na Herdade da Casa Branca, Zambujeira do Mar, é já um dos mais reconhecidos eventos de música e entretenimento promovidos em Portugal, mesclando sol, praia, diversão e muita música. Ainda assim, este ano adquire um cunho especial: o swTMN entra agora na adolescência, comemorando a 16.ª edição. Foi para apresentar o cartaz musical e celebrar esta importante data que a organização convidou imprensa e amigos, juntando-os no espaço do TMN ao Vivo, no Cais do Sodré, Lisboa.

Garantindo a presença de distintas personalidades do mundo artístico e cultural português, o showcase iniciou-se com uma pequena comunicação da responsável da operadora patrocinadora, referindo as várias parcerias publicitárias que estarão presentes no festival, a realizar entre 1 e 5 de agosto.

Depois foi a vez de Luís Montez, responsável da promotora Música no Coração, que produz o swTMN, transmitir as últimas confirmações artísticas e reforçar os nomes das principais atuações. Com os espetáculos divididos por três palcos (Palco TMN, Palco Groovebox e Meo Reggae Box), o responsável salientou a continuidade da aposta nas principais tendências musicais, com destaque para o cartaz de reggae, que contará com nomes como Lee “Scratch” Perry, Max Romeo & The Congos ou os portugueses Chapa Dux. No ano em que se comemora o 50.º aniversário da independência da Jamaica, o palco dedicado ao estilo oriundo daquele país prosseguirá como “um festival dentro do festival”.

Montez destacou ainda os sonantes nomes da música electrónica, como o “DJ residenteDavid Guetta, presente nas últimas 3 edições – que encerrará o evento, tocando na noite de 5 de agosto -, ou a mais recente confirmação: Gorillaz Sound System, um conceito audiovisual baseado no périplo musical da banda Gorillaz.

A experiência alentejana contará também com atuações de estrelas como Eddie Vedder, Ben Harper ou The Roots, e de músicos portugueses como Orelha Negra, Richie Campbell ou Xutos & Pontapés. “Vai ser uma grande experiência. Espero que quando terminar estejamos bem cansados e com muitas histórias para contar durante o ano”, afirmaria o promotor ao Espalha Factos.

Para terminar em beleza, a organização reservou duas atuações, lançando o epíteto para os seus espetáculos na Zambujeira. Primeiro Orelha Negra, o projeto de Sam The Kid, Dj Cruzfader, Frederico Ferreira, Francisco Rebelo e João Gomes.  Com um som eclético e agregador de diversas influências, sobretudo de hip-hop e soul,  os cinco músicos atuaram durante pouco mais de uma hora, revisitando temas como Alice, M.i.r.i.a.m ou A Cura. Alguns presentes aproveitavam para dançar, enquanto outros se refrescavam, tentando apaziguar as mazelas da alta temperatura que ali se fazia sentir. Ritmados e transmitindo um bom groove, os Orelha Negra deram sinais positivos, deixando o público expectante para o concerto que darão a 4 de agosto na Herdade da Casa Branca.

Por fim foi a vez de DJ Ride entreter os presentes, garantindo uma interativa e dinâmica atuação, com o seu projeto de video scratch Pixel Trasher, que consiste em sincronizar a técnica de scratch com as imagens que vai passando, conferindo um toque de diversão e alegria ao espetáculo, e diversificando ao máximo as imagens apresentadas.

Um showcase enérgico e ribombante, capaz de cumprir o seu principal objetivo: aguçar as vontades para a edição do swTMN que se avizinha, convencendo os presentes de que o festival será uma “experiência inesquecível”.