Na passada sexta-feira, dia 15 de junho, não havia por onde fugir. Coimbra tinha noite musical em dose dupla no Gil Vicente. You Can’t Win, Charlie Brown e PAUS arrasaram, cada um a seu jeito.

Os You Can’t Win, Charlie Brown (YCWCB) e os PAUS já tinham atuado em Torres Vedras e em Leiria, a propósito do ciclo Roque Beat – Nova Música Portuguesa, antes de passarem pelo Teatro Académico Gil Vicente. Ambas as bandas encontram-se a promover os seus álbuns de estreia, lançados em 2011, e o que de bom a música portuguesa tem para oferecer.

A noite abriu com uns YCWCB constantemente animados que se dedicaram, primeiramente, a An Ending, de piano e xilofone harmoniosamente intercalados, seguida de Until December, em tom animado, que deu lugar a uma das mais famosas, Green Grass. A aclamada A While Can Be A Long Time também teve lugar de destaque, revisitando logo depois o EP da banda com as melancólicas Sad Song, The Song Below e Device. Não foram, naturalmente, esquecidos temas como I’ve Been Lost, Songworm e o poderoso single Over The Sun/Under The Water, a fechar em grande a primeira parte.

Depois de um intervalo para montagem de material, seguiram-se os ansiosamente aguardados PAUS. A tão famosa bateria siamesa arrancou desde logo, com Joaquim Albergaria de um lado e Hélio Morais do outro. Conhecidos pela sua sonoridade eclética – que os próprios denominam como big beat –, um funk algo tribal e, sobretudo, altamente dançável, a banda, convidando o público a aproximar-se do palco, interpretou temas inevitáveis como Ocre, Malhão e Descruzada, não esquecendo também o EP É uma água.

De objetivo cumprido, os YCWCB e os PAUS conseguiram provar que a música portuguesa, mais do que nunca desde há muito, se encontra de boa saúde e recomenda-se. São bandas para manter debaixo de olho e, esperemos, durante muito tempo.