Rita Pereira, ainda no ar na TVI com a maquiavélica Helena de Remédio Santo, assume interesse em trabalhar na Rede Globo

Numa entrevista à revista Notícias TV, Rita Pereira assume a ambição de uma carreira internacional e relembra com saudade os tempos em que tirou cursos de representação no Brasil, com Fátima Toledo. Assume que perdeu “todas as esperanças” de trabalhar nos Estados Unidos, após ter visto “excelentes atores numa batalha diária infindável, como a Leonor Seixas (…) Já lá está há três anos e, nos três meses em que vivi com ela vi que vai todos os dias a castings, tem trabalhos… É uma excelente atriz. Cá, estava no topo e deixou tudo para ir para lá. É muito difícil conseguir, é preciso muita coisa“. No entanto, a conversa é outra quando se fala no Brasil.

Admite que não tem “projectos lá, nem propostas“, mas confessa que sondou o mercado e percebeu que “gostava bastante de trabalhar no Brasil“. A Rede Globo, uma das maiores produtoras de telenovelas do mundo, pode ser um objetivo a atingir: “Não tinha coragem de ir à luta nos Estados Unidos, mas tinha coragem para deixar tudo aqui e entrar numa novela da Globo, nem que fosse para servir um copo de água de vez em quando. Não é o protagonismo que me enche as medidas, é o facto de estar a trabalhar. Não me importava nada de ser a rapariga que só entra às vezes para ir abrir a porta. Queria conhecer um novo mundo e uma forma de trabalhar que se calhar é diferente“.