A partir deste ano, a Associação Portuguesa das Artes e Ciências Cinematográficas – Academia Portuguesa de Cinema (APC) passa a ser a responsável pela escolha do filme português candidato ao Óscar de Melhor Filme Estrangeiro, entregue todos os anos pela Academy of Motion Picture Arts and Sciences (AMPAS) nos Estados Unidos da América.

Até hoje, a candidatura da obra cinematográfica nacional estava a cargo do Instituto do Cinema e do Audiovisual  (ICA) através da Comissão de Seleção do Filme Português Candidato ao Prémio Anual para Melhor Filme em Língua Estrangeira.

Para Paulo Trancoso, principal impulsionador e presidente da APC, “este convite representa um enorme estímulo para todos os que trabalham cinema em Portugal“, e frisa ainda que “o cinema português só pode evoluir se for promovido por profissionais competentes e apreciado pelos espectadores“.

Oficialmente nascida no ano ano passado, a APC revela-se uma associação sem fins lucrativos que tem como missão a divulgação do cinema português, tanto nacional como internacionalmente. À luz de tantos prémios internacionais (os Óscares, nos EUA, os Goya em Espanha, os Césares em França), foram estabelecidos os prémios Sophia, numa clara homenagem a Sophia de Mello Breyner, para celebrar o cinema português.