O filme do realizador português Gonçalo Tocha, É na Terra Não é na Lua foi eleito o Melhor Documentário de Autor no Festival Documenta Madrid, anunciou sexta-feira a organização.

O filme rodado na ilha açoriana do Corvo foi eleito o Melhor Documentário de Autor entre as longas-metragens, arrecadando um prémio no valor de cinco mil euros. Segundo a organização do festival esta “é uma grande odisseia fílmica rodada a um ritmo vertiginoso e dividida em 15 capítulos que conjugam registos antropológicos, imagens de arquivo e histórias mitológias e pessoais”.

É na Terra Não é na Lua conta já com vários prémios internacionais. No passado dia 3 arrecadou o prémio de Melhor Documentário do 55º Festival Internacional de Cinema de São Francisco, nos Estados Unidos. No final do mês passado, conquistou o prémio de Melhor Filme no Festival Internacional de Cinema Independente, em Buenos Aires. Em 2011, o filme de Gonçalo Tocha somou o prémio de Melhor Longa-Metragem no DocLisboa e ainda recebeu uma menção especial do júri do Festival de Cinema de Locarno, na Suíça.

No Festival Documenta Madrid foram ainda homenageados duas produções portuguesas com menções honrosas: a longa-metragem de Pedro Filipe Marques, A Nossa Forma de Vida, e ainda a curta-metragem Água fria, de Pedro Neves.

O Documenta Madrid é o mais importante festival espanhol dedicado aos documentários e termina hoje.