Os principais destaques de programação da Cinemateca Portuguesa no mês de maio é o que o Espalha-Factos pretende oferecer, este mês, na rubrica Bobines da Cinemateca. Um olhar sobre os ciclos, filmes e presenças em exibição na Rua Barata Salgueiro, onde o musical será homenageado na programação.

Desde o início do ano que a Cinemateca tem vindo a apresentar o ciclo Cineastas, do Nosso Tempo, que chega ao fim agora em maio. As seis sessões que restam incluem filmes dedicados, por exemplo, a Erice, Marc’O e ao Filme Socialismo de Godard. Entre os realizadores destaca-se Labarthe, um dos criadores desta coleção que a Cinemateca pretende continuar a seguir.

A retrospetiva Ermanno Olmi, em colaboração com Guimarães Capital Europeia da Cultura 2012 e a 8 1/2 Festa do Cinema Italiano, iniciada em abril, termina também neste mês de maio, com a exibição de duas sessões de curtas-metragens e um conjunto de filmes do realizador. I Recuperanti, Il Tempo Si È Fermato e Cammina Cammina são alguns dos filmes de Olmi que passarão pelos ecrãs da Cinemateca, alguns dos quais já foram também exibidos em abril.

Maio dedica ainda um ciclo a Stanley Donen, conhecido por realizar Serenata à Chuva e pelas colaborações recorrentes com Gene Kelly e até Fred Astaire, em filmes musicais. Um dia em Nova Iorque é o seu primeiro filme, em exibição neste ciclo, ao lado do próprio Serenata à Chuva, Casamento Real, Cinderella em Paris, Dançando nas Nuvens, Charada, entre outros. Colaborações com Audrey Hepburn, Sophia Loren, Cary Grant e Jose Ferrer estão também presentes neste Nas Nuvens com Stanley Donen.

A iniciativa nacional Um Dia com os Media leva à Cinemateca Porque Lutamos, de Frank Capra, no dia 3, de forma a evocar a liberdade de expressão e de imprensa com os dois primeiros episódios. Passarão ainda este mês Sangue do Meu Sangue, de João Canijo, no término do II Encontro Anual da AIM, com a presença do realizador para um debate no final, ainda por confirmar. Paulo César Saraceni é homenageado no ciclo In Memoriam com Capitu; a doação da família de Vitoriano Rosa dá o mote para a exibição de Riso Amaro e estreia na Cinemateca o vencedor dos Prémios Lux de Cinema Europeu, Les Nieges du Kilimandjaro, do francês Robert Guédiguian.

As Matinés da Cinemateca prosseguem com realizadores destes e doutros tempos, como Altman, Cronenberg, Benigni, Bresson, Allen, Hitchock, entre outros. Dos 22 filmes, o destaque vai para Poderosa Afrodite, Kansas City (inédito na Cinemateca), Valmont, O Príncipe das Trevas, O Homem da Mascarilha ou A Marquesa de O. Já a rubrica O Que Quero Ver inclui, este mês, onze sessões sugeridas pelos espectadores, destacando-se O Touro Enraivecido, Viridiana, Duplo Amor ou A Comédia de Deus, este último o único português, de João César Monteiro.

O Primeiro Século do Cinema revisita, em maio, o cinema soviético de diversas épocas, iniciando com quatro filmes mudos e passando pela propaganda política na II Guerra Mundial, pelo nazismo e pela aproximação à perestroika, em filmes como As Aventuras Extraordinárias de Mr. West no País dos Bolchevistas ou A Felicidade. Hitchcock, Antonioni, Buñuel, Bresson, Coppola, Miller e Kaurismaki também serão relembrados, entre filmes como Sombras no Paraíso, Nazarin e Peggy Sue Casou-se.

Cinema feito em Portugal está em destaque nas sessões de Abrir os Cofres, Ante-Estreias e Cinema Português: Primeiras Obras, Primeiras Vezes. O primeiro ciclo inclui dois filmes de António Lopes Ribeiro sobre a propaganda do Estado Novo. Nas Ante-Estreias, destaca-se O Cônsul de Bordéus, uma evocação a Aristides de Sousa Mendes, com a presença de um dos realizadores, Francisco Manso. Já Estou Perto e A Zona, uma curta e uma longa de Sandro Aguilar, serão exibidos no dia 18 às 22 horas, com a presença do realizador.

Não há como a Nossa Casa, Um Americano em Paris, Brigadoon – A Lenda dos Beijos Perdidos, Melinda e A Roda da Fortuna são os cinco filmes em exibição na rubrica Histórias do Cinema, este mês dedicada ao realizador Vincente Minnelli e comentada pelo especialista Carlos de Pontes Leça. Quanto às sessões da Cinemateca Júnior, os espectadores mais jovens poderão ver o clássico da Disney Bambi, Idade do Gelo: Descongelados, Revista de Charlot (de Charlie Chaplin) e O Tesouro do Barba Ruiva (de Fritz Lang). Ladrões de Bicicletas, de Vittorio De Sica, completa a programação, na rubrica Não o Levarás Contigo – Economia e Cinema, apresentada por António Bagão Félix a 24 de maio.

A programação completa do mês de maio na Cinemateca pode ser consultada aqui.