cinemateca

Bobines da Cinemateca: maio

Os principais destaques de programação da Cinemateca Portuguesa no mês de maio é o que o Espalha-Factos pretende oferecer, este mês, na rubrica Bobines da Cinemateca. Um olhar sobre os ciclos, filmes e presenças em exibição na Rua Barata Salgueiro, onde o musical será homenageado na programação.

Desde o início do ano que a Cinemateca tem vindo a apresentar o ciclo Cineastas, do Nosso Tempo, que chega ao fim agora em maio. As seis sessões que restam incluem filmes dedicados, por exemplo, a Erice, Marc’O e ao Filme Socialismo de Godard. Entre os realizadores destaca-se Labarthe, um dos criadores desta coleção que a Cinemateca pretende continuar a seguir.

A retrospetiva Ermanno Olmi, em colaboração com Guimarães Capital Europeia da Cultura 2012 e a 8 1/2 Festa do Cinema Italiano, iniciada em abril, termina também neste mês de maio, com a exibição de duas sessões de curtas-metragens e um conjunto de filmes do realizador. I Recuperanti, Il Tempo Si È Fermato e Cammina Cammina são alguns dos filmes de Olmi que passarão pelos ecrãs da Cinemateca, alguns dos quais já foram também exibidos em abril.

Maio dedica ainda um ciclo a Stanley Donen, conhecido por realizar Serenata à Chuva e pelas colaborações recorrentes com Gene Kelly e até Fred Astaire, em filmes musicais. Um dia em Nova Iorque é o seu primeiro filme, em exibição neste ciclo, ao lado do próprio Serenata à Chuva, Casamento Real, Cinderella em Paris, Dançando nas Nuvens, Charada, entre outros. Colaborações com Audrey Hepburn, Sophia Loren, Cary Grant e Jose Ferrer estão também presentes neste Nas Nuvens com Stanley Donen.

A iniciativa nacional Um Dia com os Media leva à Cinemateca Porque Lutamos, de Frank Capra, no dia 3, de forma a evocar a liberdade de expressão e de imprensa com os dois primeiros episódios. Passarão ainda este mês Sangue do Meu Sangue, de João Canijo, no término do II Encontro Anual da AIM, com a presença do realizador para um debate no final, ainda por confirmar. Paulo César Saraceni é homenageado no ciclo In Memoriam com Capitu; a doação da família de Vitoriano Rosa dá o mote para a exibição de Riso Amaro e estreia na Cinemateca o vencedor dos Prémios Lux de Cinema Europeu, Les Nieges du Kilimandjaro, do francês Robert Guédiguian.

As Matinés da Cinemateca prosseguem com realizadores destes e doutros tempos, como Altman, Cronenberg, Benigni, Bresson, Allen, Hitchock, entre outros. Dos 22 filmes, o destaque vai para Poderosa Afrodite, Kansas City (inédito na Cinemateca), Valmont, O Príncipe das Trevas, O Homem da Mascarilha ou A Marquesa de O. Já a rubrica O Que Quero Ver inclui, este mês, onze sessões sugeridas pelos espectadores, destacando-se O Touro Enraivecido, Viridiana, Duplo Amor ou A Comédia de Deus, este último o único português, de João César Monteiro.

O Primeiro Século do Cinema revisita, em maio, o cinema soviético de diversas épocas, iniciando com quatro filmes mudos e passando pela propaganda política na II Guerra Mundial, pelo nazismo e pela aproximação à perestroika, em filmes como As Aventuras Extraordinárias de Mr. West no País dos Bolchevistas ou A Felicidade. Hitchcock, Antonioni, Buñuel, Bresson, Coppola, Miller e Kaurismaki também serão relembrados, entre filmes como Sombras no Paraíso, Nazarin e Peggy Sue Casou-se.

Cinema feito em Portugal está em destaque nas sessões de Abrir os Cofres, Ante-Estreias e Cinema Português: Primeiras Obras, Primeiras Vezes. O primeiro ciclo inclui dois filmes de António Lopes Ribeiro sobre a propaganda do Estado Novo. Nas Ante-Estreias, destaca-se O Cônsul de Bordéus, uma evocação a Aristides de Sousa Mendes, com a presença de um dos realizadores, Francisco Manso. Já Estou Perto e A Zona, uma curta e uma longa de Sandro Aguilar, serão exibidos no dia 18 às 22 horas, com a presença do realizador.

Não há como a Nossa Casa, Um Americano em Paris, Brigadoon – A Lenda dos Beijos Perdidos, Melinda e A Roda da Fortuna são os cinco filmes em exibição na rubrica Histórias do Cinema, este mês dedicada ao realizador Vincente Minnelli e comentada pelo especialista Carlos de Pontes Leça. Quanto às sessões da Cinemateca Júnior, os espectadores mais jovens poderão ver o clássico da Disney Bambi, Idade do Gelo: Descongelados, Revista de Charlot (de Charlie Chaplin) e O Tesouro do Barba Ruiva (de Fritz Lang). Ladrões de Bicicletas, de Vittorio De Sica, completa a programação, na rubrica Não o Levarás Contigo – Economia e Cinema, apresentada por António Bagão Félix a 24 de maio.

A programação completa do mês de maio na Cinemateca pode ser consultada aqui.

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Fátima Lopes
Fátima Lopes deixa de apresentar ‘Conta-me’