Linha Vermelha, de José Filipe Costa e em exibição em salas de cinema por todo o país, revisita o filme Torre Bela, de 1975, que retrata o fenómeno da ocupação por trabalhadores de uma herdade ribatejana no período do PREC vivido em Portugal.

Em 1975 vivia-se em Portugal o Processo Revolucionário em Curso (PREC) e, inserida neste período, estava em vigor a Reforma Agrária, na qual se pretendia a eliminação de latifúndios da paisagem rural, a ocupação de terras por parte dos trabalhadores, a formação de unidades colectivas de produção e de cooperativas agrícolas.

É neste contexto que o realizador alemão Thomas Harlan filma Torre Bela, filme sobre a transformação da herdade homónima, propriedade dos duques de Lafões e situada no Ribatejo, em cooperativa agrícola.

No filme de Harlan não há narrador. Há apenas actores e acção, o pode levar a que o filme possa ser interpretado sob várias perspectivas: terá um teor propagandístico ou, pelo contrário, de documento jornalístico?

Na liderança da construção da cooperativa da Torre Bela surge Wilson, homem tantas vezes embriagado e cuja oratória roça a demagogia… É ele, entre outros, quem comanda os trabalhadores da herdade para “invadirem” o palácio do duque.

Todos remexem nas gavetas dos antigos patrões, descobrindo terços, cachimbos e brincando com as vestes clericais que vão encontrando, tudo isto numa fusão de curiosidade e infantilidade alimentadas pela sua ignorância.

Entrevistando os envolvidos na produção de Torre Bela, José Filipe Costa, no seu Linha Vermelha, parece apontar para a tese de que houve uma certa manipulação no que toca à veracidade das cenas do filme de Thomas Harlan. Até que ponto as câmaras condicionaram o comportamento dos ocupantes da herdade?

Vencedor do prémio Melhor Longa Metragem Portuguesa do Indie Lisboa 2011, Linha Vermelha revisita o fenómeno da ocupação da herdade Torre Bela, imortalizado no filme com o mesmo nome, reencontrando os seus protagonistas e a sua equipa, que vão respondendo a questões e reflectindo sobre o seu envolvimento num caso que se tornou ícone do PREC, há 37 anos.

Linha Vermelha estará em exibição nas salas de cinema de Lisboa (Cinema City Classic Alvalade), do Porto (Cinema Dolce Vita) e Coimbra (Cinema Dolce Vita). Estará ainda em exibição em sessões de cine-teatros e auditórios municipais nos próximos dias 24 de Abril em Ponta Delgada; 25 de Abril em Évora, Freixo de Espada a Cinta, Abrantes e Leiria; 1 de Maio em Viseu; 8 de Maio em Castelo Branco e Guimarães; 12 de Maio em Viana do Castelo; 17 de Maio em Sines e dia 18 de Maio no Barreiro.

*Por escolha da autora,  o artigo foi redigido segundo o Acordo Ortográfico de 1945.