Há cinco anos a fazer Portugal no Coração juntamente com João Baião, Tânia Ribas de Oliveira, em conversa com o Espalha Factos, salientou o lado humano do programa, caracterizando-o como “muito certo”, destacando como sendo “inequívoco” que “não explora o sentimento alheio”.

Para a apresentadora, o Portugal no Coração sempre tentou mostrar o lado positivo da vida, mesmo antes de a crise se instalar verdadeiramente em Portugal: “o nosso propósito sempre foi olhar para o futuro com um sorriso. Porque há coisas que ainda não custam dinheiro e o sorriso é uma delas”.

Tânia Ribas de Oliveira salienta assim o facto de no Portugal no Coração se receberem “verdadeiras estratégias”, mas sempre com o objetivo de mostrar que é possível superar. “Nós mostramos exemplos de empreendedorismo, pessoas que apesar da crise conseguiram dar a volta, conseguiram fazer aquilo que realmente as faz feliz. Mostramos pessoas que conseguem ultrapassar os seus próprios medos”, contou Tânia.

A propósito deste “lado humano” do programa, Tânia não hesitou em partilhar que “Nós aprendemos muito mais com essas pessoas, que aquilo que eles aprenderão algum dia connosco. “

Como um exemplo deste trabalho humano no Portugal no Coração, a apresentadora referiu a importância de uma das rubricas do programa, em que todas as semanas visitam de surpresa um lar de idosos. “Aquela hora que estamos ali, é a melhor de sempre”, contou a apresentadora.

Para que o programa funcione nestes moldes, Tânia apontou como uma das razões a sua amizade com o colega de apresentação, João Baião.  “O facto de eu e o João  sermos os melhores amigos um do outro ajuda muito, porque as pessoas notam essa veracidade” referiu Tânia Ribas de Oliveira, acrescentando “nós não fingimos que estamos bem dispostos, nós somos naturalmente bem dispostos”.