Os Feromona apresentaram ontem, num showcase de entrada livre no Bacalhoeiro (Lisboa), três músicas novas e gravaram o videoclip de Sábado à tarde. Depois de Desoliúde (2010), já fazia algum tempo que não tínhamos notícias da banda.

O grupo lançou o convite através do Facebook e os fãs e amigos não faltaram à chamada. Num ambiente completamente “familiar”, foram apresentadas Sábado à tarde, Che Guevara e 1991 (que já tínhamos tido oportunidade de ouvir em formato acústico, na galeria d’A Música Portuguesa a Gostar Dela Própria). O regresso dos Feromona aos estúdios faz prever um sucessor de Desoliúde ainda este ano.



Durante a tarde encontrámos o Diego e o Marco Armés, o João Gil e o Bernardo Barata descontraídos ao balcão do bar da associação Bacalhoeiro. No piso de baixo, momentos mais tarde, notava-se um nervoso miudinho, pois não dependia só deles que a tarde corresse bem. Para desentorpecer, escolheram as músicas mais musculadas de Uma Vida a Direito e Desoliúde: Psicologia, Mustang, Courtney Love, Selvagem Tosco (“É a selvagem, tosco!”, gracejou Diego Armés) e, a pedido da malta, Bisturi (já não a ensaiavam há “muito tempo“, mas acederam ao pedido), onde abafámos, a cantar, a voz do microfone: sempre bem-disposto, o letrista e vocalista ironizou – “Calma, um de cada vez!” – e sorriu.

Antes da gravação, 1991 e Che Guevara (que já havia sido tocada num concerto no Porto no ano passado, mas era desconhecida para a maioria), de toada mais calma, onde sobressai o refrão “Ter ideias é tão bom, ter utopia é melhor”.

Sábado à tarde não foge a Alfama, aos stresses e afazeres da vida na metrópole, com versos apressadíssimos, qual rap. O refrão simpes é uma celebração fácil de trautear. Muitos saltos e mosh, já embalados pelas boas escolhas de todo o alinhamento. Notícia: Diego Armés não se desfez da t-shirt.

Confiantes que fomos mais do que figurantes, esperamos com ansiedade o tratamento das imagens e queremos o videoclip publicado o mais breve possível. “Made in Seattle, Portugal”.

 

Fotografias: Rita Sousa Vieira