Fotógrafa e jornalista, Laura Ramos é a mentora do projecto O que diz Lisboa?. A página de facebook conta com mais de 3000 seguidores e é uma galeria online das paredes e muros da cidade de Lisboa. Centenas de fotos capturadas entre 2006 e 2012, todas com recurso às câmaras dos telemóveis Nokia N73, iPhone 3GS e iPhone 4, registam obras de street art. “Graffiti, Stencil, Stickers, Frases, Declarações de amor e de ódio”, assinados ou mantendo o anonimato, retratam as ruas da capital.

Recentemente lançado, Say What? expande as fronteiras do projecto a São Paulo e Madrid, mas a caminho estão outras cidades como Miami, Tel Aviv, Cidade do México, Cape Town, Nova Iorque, Los Angeles, Oslo, Montpellier e Estocolmo.

Laura Ramos em entrevista para o Espalha-Factos .

Espalha-Factos: O que diz a Laura?

Laura Ramos (O o que diz Lisboa?): Digo que, depois de um trabalho de quase 6 anos, fico feliz por ver a street-art em Lisboa reconhecida e apreciada por tantas pessoas.

EF: O que diz Lisboa?

LR: Lisboa tem muito para dizer, seja na simples forma de um desabafo escrito na parede ou de obras de arte feitas por artistas com um talento incrível, que vale a pena registar. No que respeita à arte urbana, Lisboa é uma das cidades do mundo que mais tem para dizer.

EF: O que diz o Bairro Alto?

LR: O Bairro Alto já disse mais do que diz agora. Depois da “limpeza” feita pela CML, este bairro ficou mais pobre em termos de street-art. Muitas obras de artistas nacionais e internacionais de talento mais do que reconhecido foram apagadas indiscriminadamente, o que foi não só uma pena mas quase um “crime”.

EF: O que diz um telemóvel com câmara fotográfica?

LR: Se for um telemóvel com uma boa câmara diz que isso pode bastar para construir um arquivo fotográfico com qualidade suficiente para ser exposto, com a vantagem de ser pequeno, portátil e estar sempre à mão, permitindo uma mobilidade que nenhuma máquina fotográfica poderá igualar. 

EF: O que diz a fotografia?

LR: A fotografia é sempre um registo no tempo que pode trazer, manter e reavivar memórias. No caso da street-art a fotografia assume um papel extremamente importante, porque permite guardar e manter uma arte que se distingue por ser tão efémera. A maioria das obras que fotografei já não existem.

EF: O que diz uma parede vazia?

LR:Não há por aí ninguém que me queira dar uma nova vida?”.

EF: O que diz a arte de rua?

LR: Que é uma arte que merece ser valorizada e reconhecida, porque é espontânea e retrata a voz de uma cidade e de uma geração.

EF: O que diz Bansky?

LR: O Banksy alerta de forma inteligente para muitas questões sociais e é um dos melhores writers a nível mundial.

 

EF: O que diz o futuro?

LR: O futuro diz que ainda há muitas paredes por pintar e que a arte de rua nunca morrerá.

EF: O que é que gostava de dizer agora?

LR: Citando o writer Tinta Crua, num dos stickers colados em Lisboa: “Museums are dead, Long live the streets”.