Foi com sala cheia que decorreu ontem a sessão de abertura da sexta edição do Panorama, a Mostra do Documentário Português. No Cinema São Jorge foram exibidos Nazaré, Praia de Pescadores; Alfama, a Velha Lisboa e Douro, Faina Fluvial, tendo os dois primeiros sido musicados por Noiserv.

Nazaré, Praia de Pescadores

Em 1929, Leitão de Barros filmou os pescadores desta cidade, os seus hábitos e a cidade em si. É possível identificar características de um retrato turístico, através das forma como são mostradas as casas ou as roupas típicas. Um final abrupto, resultado da perda da segunda parte do documentário.

Alfama, a Velha Lisboa

João Almeida e Sá apresenta neste documentário de 1930 um retrato do bairro de Alfama, com as suas pessoas e a vida própria do bairro, na época. Um retrato nostálgico de uma Lisboa distante, em que o realizador vanguardista se coloca fora de uma perspectiva turística e quer ser ele próprio movimento do bairro. A música de Noiserv veio complementar na perfeição esta exibição.

Douro, Faina Fluvial

Manoel de Oliveira estetizou em 1931 a zona ribeirinha do Porto e o resultado é Douro, Faina Fluvial. O rio é personagem central a os homens, mulheres e crianças vivem em azáfama à sua volta. A versão exibida foi a que contém música original de Luís de Freitas Branco.

Três documentários do início do século XX a abrir o Panorama 2012, a presença da imagem muda e a conclusão de que os três são pioneiros, no seguimento das vanguardas a nível europeu. O  festival decorre até dia 21 de Abril e a programação completa pode ser consultada AQUI.

Fotografias: Rita Sousa Vieira

*Por opção da autora, este artigo foi escrito segundo as normas do Acordo Ortográfico de 1945.