O 8 ½ Festa do Cinema Italiano regressa naquela que é a sua quinta edição, passando por Lisboa, Porto, Funchal, Coimbra e Guimarães. Para este ano, a proposta é a de um cinema que pretende caracterizar o país com forma de bota pelo olhar “do outro, do hóspede, do viandante, do exilado”.

Para além da exibição de longas-metragens (em competição e fora dela) e de curtas-metragens (no Il Corto) produzidas ao longo do último ano, a programação do 8 ½ fica marcada por uma retrospetiva Amacord sobre Ermanno Olmi e por uma homenagem na secção Focus a Paolo Sorrentino, Pietro Marcello e ao coletivo Flatform, referências da “inovação e modernização do cinema italiano” contemporâneo.

O público poderá contar ainda com documentários (no Il Documentario) e com a secção Ascolta que inclui videoclips dedicados ao cantautor Lucio Dalla. Concertos, encontros, leituras e gastronomia finalizam os destaques da programação.

A quinta edição do 8 ½ Festa do Cinema Italiano traz a Portugal, enquanto convidados, Paolo Sorrentino, Emanuele Crialese, Fabrizio Bentivoglio, Pietro Marcelo bem como Gianluca e Massimiliano De Serio.

Ao Prémio Oficial Rottapharm – Madaus da responsabilidade do painel dos jurados da Festa, junta-se este ano uma nova distinção, o Prémio do Público Endesa, atribuído pelos espectadores a um dos filmes em competição.

 

COMPETITIVA

Uma descoberta dos talentos do novo cinema italiano e de obras que se destacaram pela inovação é o que traz a categoria competitiva. Segundo a organização, “foram selecionados seis filmes que pela sua ousadia e capacidade expressiva, se distinguiram ao longo do último ano afirmando-se através da sua competência e do desejo de fazer cinema de qualidade”.

Corpo Celeste de Alice Rohrwacher, Là-Bas de Guido Lombardi, Il mio domani de Marina Spada, Ruggine de Daniele Gaglianone, Scialla! de Francesco Bruni e Sette Opere di Misericordia de Gianluca e Massimiliano De Serio são os filmes em competição.

PANORAMA

O Panorama apresenta os filmes, segundo a organização, “mais interessantes e importantes saídos em Itália” em 2011, reconhecidos pelo público e pela crítica internacional.

This must be the place de Paolo Sorrentino e Terraferma de Emanuele Criase inserem-se nesta categoria e foram escolhidos como os filmes de abertura e encerramento do festival, respetivamente. Outro dos destaques vai para Il primo uomo de Gianni Amelio, uma adaptação do romance homónimo de Albert Camus. Il illagio di cartone de Ermanno Olmi, Vallanzasca de Michele Placido e Toto 3D de Mario Mattoli são os outros filmes escolhidos.

IL DOCUMENTARIO

Os três documentários que integram esta secção pretendem mostrar “a complexa e contraditória realidade social, cultural e política de um país objetivamente difícil de descrever pelos italianos e de perceber pelos outros”.

Napoli 24, da autoria de 24 jovens autores, Qui Finisce l’Italia de Gilles Coton e Altra Europa de Rosella Schillaci foram as escolhas deste ano.

Lisboa 12 a 19 de abril Espaço NimasCinema Medeia MonumentalCinemateca PortuguesaInstituto Italiano di Cultura
Funchal 26 a 29 de abril Teatro Municipal Dias Baltazar
Coimbra 1 a 3 de maio Teatro Académico Gil Vicente
Guimarães 4 a 6 de maio São Mamede  – Centro de Artes e EspetáculosCentro Cultural Vila Flor
Porto 10 a 13 de maio Cinema Passos Manuel

Mais informação sobre a programação do 8 ½ Festa do Cinema Italiano pode encontrada no site oficial, aqui.