Depois do estrondoso sucesso de Harry Potter e, mais tarde, Crepúsculo, The Hunger Games – Os Jogos da Fome tem causado uma epidemia quase febril no mundo da literatura. E enquanto este entusiasmo viral toma conta do público adolescente e adulto, a única coisa que eu pergunto é onde raio anda J. K. Rowling

Ambientado num mundo pós-apocalíptico, a história tem lugar no Capitólio, cidade central da nação de Panem, uma localidade organizada em treze distritos, definidos a partir de uma sequência numérica de 1 a 12. Alguns anos antes do começo da história, o distrito 13 tentou revoltar-se contra o sistema implementado, mas acabou por ser violentamente destruído pelo Capitólio. E, deste modo, para que jamais fosse esquecido o poder da cidade, o Capitólio criou a competição Os Jogos da Fome. Selecionadas aleatoriamente, duas pessoas de cada distrito são obrigadas, todos os anos, a competirem até à morte numa perigosa arena onde apenas uma delas poderá sobreviver.

Quando a sua irmã mais nova é escolhida para representar o distrito 12, Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence) voluntaria-se para entrar nos Jogos, salvaguardando assim a vida da sua irmã. Agora, a jovem inicia uma das disputas mais importantes da sua vida, numa luta, literalmente, até à morte.

Há algo de terrivelmente estranho nesta história, e infelizmente no sentido negativo. O conceito de Suzanne Collins é irreverente, e terminasse a história nesta sinopse, poder-se-ia dizer que estávamos perante algo interessante (apesar de não original, uma vez que a narrativa é semelhante ao filme japonês Battle Royale). Infelizmente, ele continua, transformando-se num autêntico espetáculo de adolescentes com as hormonas aos saltos a tentarem matar-se uns aos outros.

Novamente, temos um romance que não tem ponta de sentido. Novamente, temos um filme cuja premissa assenta na violência, mas que passa o tempo inteiro a tentar escondê-la por detrás de falsos moralismos. Novamente, temos aquilo que promete ser um triângulo amoroso com uma versão um pouco maior de Taylor Lautner. Novamente, temos uma história que, honestamente, não passa de uma aborrecida versão de uma qualquer novela de adolescentes transposta para uma arena supostamente sanguinária.

Talvez seja por não ter lido os livros. Talvez seja porque não consegui captar a verdadeira essência da história. Talvez seja porque o filme seja efetivamente mau. Independentemente do que tenha acontecido, The Hunger Games – Os Jogos da Fome não me conseguiu convencer em nenhum momento. Uma pena, uma vez que poderia ter sido efetivamente um grande filme.

3.5/10

Ficha Técnica:

Título original: The Hunger Games

Realizado por:  Gary Ross

Argumento: Gary RossSuzanne Collins e Billy Ray, baseado no livro de Suzanne Collins

Elenco: Jennifer Lawrence, Josh Hutcherson, Elizabeth Banks, Liam Hemsworth, Woody Harrelson

Género: Ação, Drama

Duração: 142 minutos