Amanhã é o Dia Mundial do Teatro. No dia em que se celebram dramaturgos como Molière, Shakespeare ou Gil Vicente são várias as iniciativas, gratuitas ou pagas, que se desenvolvem em vários pontos do país. Este dia foi instituído pelo Instituto Internacional de Teatro (UNESCO) e comemora-se desde 1962.

Em Lisboa, são vários os locais que se preparam para celebrar este dia.

O Teatro Nacional D. Maria II proporciona três peças, todas elas gratuitas. As aventuras de João sem medo às 16h, A Morte de Danton às 21h e João Torto às 21h45.

O São Luiz Teatro Municipal começa os festejos hoje, às 21h, com uma maratona de leituras do texto Os pilares da sociedade, de Henrik Ibsen. Amanhã e quarta sobe a palco Jôjô, o reincidente, de Fernando Mora Ramos. Quinta feira, dia 29, terminam os Dias do Teatro no São Luiz com a apresentação do livro Criatividade e Instituições: Novos desafios à vida dos artistas e dos profissionais da cultura, de Vera Borges e Pedro Costa.

No teatro A Barraca, amanhã há D.Maria, a Louca às 20h30 na sala 1 e na sala 2 às 22h – O Fantasma do Chico Morto.

No Porto, o Teatro da Batalha abre portas gratuitamente numa sessão de Alma, texto de Gil Vicente e adaptação de Nuno Carinhas, às 21h30. Também o Mosteiro São Bento da Vitória apresenta grátis uma sessão de Esta é a Minha Cidade e Eu Quero Viver Nela, às 21h30.

Em Vila Real e Bragança, esta data marca o início do Vinte e Sete – Festival Internacional do Teatro, que decorre durante um mês com várias iniciativas nas duas cidades.

A sul, o Teatro Municipal de Almada apresenta o espetáculo Dança de Roda às 21h30, com entrada livre.

Em Albufeira, no teatro municipal estreia Face, um texto de João Evaristo, escrito a partir de um trabalho de grupo feito na Casa da Juventude de Olhão.

No Alentejo, A galinha da minha vizinha em Borba, O Jantar das Feras em Beja ou Antes de Começar em Évora são apenas algumas das peças que, em várias localidades e gratuitamente, celebram o Dia Mundial do Teatro.

Mas nem só de salas de espetáculo vive o teatro. O Museu do Oriente preparou duas sessões dedicadas aos mais novos (11h e 15h) com a peça O Povo-Luz e os Homens Sombra, uma adaptação de um texto de Ana Zanatti. O Museu Nacional do Teatro, em Lisboa, abre as portas mediante marcação prévia, para duas peças distintas: Floresta , às 10h30 e As mulheres de Gil Vicente, às 15h.

Na televisão, a RTP tem preparado um programa especial dedicado a este dia.  Gravado no Teatro Nacional D. Maria II e com a apresentação de Catarina Furtado e Diogo Infante, O grande teatro do mundo pretende homenagear esta arte, através da leitura e interpretação de vários textos, portugueses e estrangeiros. João Mota, João Reis, Tiago Rodrigues, Sandra Faleiro, Adelaide João, Albano Jerónimo, Sylvie Rocha, Eunice Muñoz, José Raposo, Henrique Feist e Nuno Carinhas são alguns dos atores e encenadores que marcam presença nesta emissão.