Começou ontem, dia 15, e termina domingo. A segunda edição do Festival Literário da Madeira pretende homenagear Agustina Bessa-Luís, autora de A Corte do Norte, cuja história se desenrola na Pérola do Atlântico. O festival é uma iniciativa dos consultores editoriais Booktailors e da editora Nova Delphi e realiza-se no Teatro Municipal Baltazar Dias.

Francisco José Viegas, Valter Hugo Mãe, Afonso Cruz, Joel Neto, Jaime Rocha, Pedro Vieira, Eduardo Pitta, José Mário Silva, Patrícia Reis, Júlio Magalhães e Fernando Pinto do Amaral são alguns dos autores portugueses que marcarão presença no festival. Também figuras internacionais estarão entre os convidados: o chinês Yang Lian, membro do grupo de poetas que trabalha na revista literária Jintian, o norte-americano Barry Wallenstein, editor da American Book Review e professor de literatura e escrita criativa na Universidade de Nova Iorque, o poeta, investigador e músico italiano Francesco Benozzo, a ensaísta, ficcionista e poeta italiana Donatella Bisutti, o espanhol José Manuel Fajardo e a romancista cubana Karla Suárez.

Vários são os temas que estarão em discussão. Na sexta-feira, às 18 horas, estarão em debate as variações do verso de Fernando Pessoa “Éramos felizes e não sabíamos” e uma reflexão sobre o papel da troika nos nossos dias, por Patrícia Reis, Pedro Vieira, Rui Nepomuceno e Inês Pedrosa. Neste ponto, os autores irão analisar como é que a “atual conjuntura económica vai redefinir a criação literária em Portugal? Os cortes nas finanças dos portugueses conduzirão a uma maior literacia?”.

Sábado, às 10 horas, Afonso Cruz, Ana Margarida Falcão, Júlio Magalhães e Eduardo Pitta vão pensar se a crítica literária ainda influencia os leitores. Já Berry Wallenstein, Fernando Pinto do Amaral, Francesco Benozzo, João Carlos Abreu, Yang Lian e Jaime Rocha vão analisar a qualidade da poesia no país dos poetas. Na tarde de sábado, por volta das 15h30, em cima da mesa estará o tema “Éramos piegas e não sabíamos”, sob discussão de Joel Neto, Valter Hugo Mãe, Manuela Ribeiro e o ilustrador Paulo Sérgio BEJu. Juntos vão desvendar se a “lamechice” afeta a literatura.

Os escritores percorrão, ainda, algumas escolas da ilha e ainda a Universidade da Madeira. Paralelamente, decorrerá uma feira do livro. O programa completo do festival pode ser consultado aqui.