Após o grande sucesso de bilheteira da saga Harry Potter, o ator Daniel Radcliffe volta ao grande ecrã num filme de cortar a respiração. A Mulher de Negro, chega hoje, dia 8 de março, às salas de cinema portuguesas e promete grandes momentos de suspense.

Neste filme, o ator britânico encarna o papel de Arthur Kipps, um jovem advogado, que ficou recentemente viúvo com um filho de 4 anos aos seus cuidados. Desligado  do trabalho, a empresa contrata Kipps  para vender a mansão Eels March situada numa pequena vila, sendo esta a sua última oportunidade para provar que ainda é capaz de exercer a sua profissão. Contudo a vila tem mais segredos do que Kipps poderia imaginar e a mansão abandonada enreda-o numa intriga de mortes, provocadas pelo espírito de uma viúva negra, enclausurada naquele território.

 A morte, com um toque de terror à mistura, é a principal temática escolhida para este filme, que peca pelos vários clichés, como a tão esperada mansão assombrada e as típicas bonecas de porcelana com um olhar aterrador,  e chega a aborrecer pela previsibilidade de certas cenas.

No início, o enredo é bastante interessante e a apresentação das sucessivas personagens cria uma grande expectativa em relação à continuidade do filme. Cada personagem está bem construída e esconde diversos mistérios do passado, que se repercutem na sua personalidade atual.

Infelizmente, à medida que a história progride, começa-se a perder o interesse capturado nas cenas iniciais. Quando o advogado fica isolado na mansão assombrada, a história entra em colapso e pode mesmo afirmar-se que há um período de estagnação, em que não há nenhum desenvolvimento apelativo no filme. Apenas se observam contínuas cenas de Kipps assustado a fugir de um espírito que só ele vê e que, mais tarde, se sabe do seu passado.

Nota-se bem o esforço de Daniel Radcliffe na execução do seu papel, pois este é o primeiro filme em que entra como protagonista após o final da saga Harry Potter. As expectativas são muito elevadas em relação à sua prestação e, apesar de ter conseguido transmitir emotividade no viúvo Arthur Kipps, não chegou a ser totalmente convincente na sua interpretação durante todo o filme.

A aura do pequeno feiticeiro de Hogwarts ainda paira no jovem ator. Torna-se difícil dissociá-lo da sua antiga personagem, visto que este filme também evoca seres sobrenaturais e maldições, exceto varinhas e  palavras mágicas, como “wingardium leviosa”. Se bem que a magia seria uma boa solução para cessar todos os males da vila.

5/10

Ficha Técnica:

Título original: The Woman in Black

Elenco: Daniel Radcliffe, Janet McTeer, Ciarán Hinds

Realizado por: James Watkins

Escrito por: Jane Goldman (baseado no romance de Susan Hill)

Género: Drama, Horror, Thriller

Duração. 95 min