No De 0 a 20 desta semana, o programa escolhido é o Gosto Disto!, o formato que apesar de simples e económico tem sido um sucesso de audiências. Analisamos ainda a personalidade que se destacou, Fernando Mendes, e  que continua a fazer do Preço Certo um “espétáááculo”. No melhor da semana destacamos os resultados de A Tua Cara Não Me É Estranha e destacamos como pior da semana o tele-filme Até Que a Vida Nos Separe.

Gosto Disto! (SIC) | 12/20

https://i1.wp.com/i770.photobucket.com/albums/xx348/espalhafactos/televisao/gostodistocomcesarmouraoeandreiarodrigues.jpg?resize=150%2C120No final do ano passado, a SIC anunciava um novo programa de televisão que prometia divertir os portugueses. Apresentado pela improvável dupla César Mourão e Andreia Rodrigues, o Gosto Disto! começou por ser uma versão barata do Tá a Gravar! e com uma vertente mais interativa, claramente tendo como referência o Facebook e o Youtube. Assim, passando vídeos que todos poderiam ter acesso na internet, com alguns sketchs do ator e apresentador pelo meio, o programa estreava em horário nobre.

A verdade é que o formato foi, cada vez mais, surpreendendo toda a gente. As audiências foram subindo, até que estabilizaram e os espetadores do programa mantiveram-se fiéis ao mesmo, de dia para dia. Líder entre as classes altas (Classe A), e com resultados bastante bons a nível geral, o programa rapidamente passou a ser uma presença constante no top 5, ficando bem perto da concorrente direta da TVI, a novela Doce Tentação.

A verdade é que o programa tem procurado introduzir cada vez mais novidades. Primeiro, com a presença dos Homens da Luta, que passaram a ser ‘atores’ residentes do Gosto Disto!, apresentado todos os dias um novo sketch ou música bem ao seu estilo: criticar o que está mal na sociedade portuguesa. Depois, o reforço nos sktechs originais protagonizados por César Mourão. E mais recentemente, a entrada de Jorge Mourato para o elenco dos mesmos e o surgimento de entrevistas de rua realizadas por Andreia Rodrigues.

A verdade é que este continua a ser um programa low cost, apesar de tentarem introduzir novidades no programa, todos os dias. Mas mesmo sendo de baixo custo, e tendo como adversária principal a novela mais vista da TVI, o Gosto Disto! tem-se revelado uma verdadeira surpresa nas audiências com resultados iguais ou superiores aos que os programas anteriores alcançavam, programas esses com um custo de produção bem maior (são exemplo disso os diários do Peso Pesado ou os episódios de A Família Mata). O que parece certo é que a SIC irá continuar a apostar neste programa. Até se esgotar o formato, e tendo em conta toda esta ‘c0ntenção de custos’, a estação certamente que irá manter o formato no ar.

 .

Fernando Mendes (RTP1) | 15/20

https://i1.wp.com/i770.photobucket.com/albums/xx348/espalhafactos/televisao/Fernando_Mendes-1.jpg?resize=150%2C120Fernando Mendes é, desde já, um “espetáculo”! Um ator e comediante que desde há vários anos conquistou o público português. Desde as séries Nós os Ricos e Nico D’Obra, por exemplo, o seu talento tem sido reconhecido por todos. É certo que o seu tipo de humor é dirigido a um público específico. Piadas e trocadilhos mais leves, que agradam sobretudo a uma faixa etária mais velha.

E se nestas séries o ‘gordo’ fez sucesso, desde que começou a apresentar O Preço Certo, tornou-se numa das caras mais mediáticos da televisão em Portugal. Todos os dias, ao final da tarde, Fernando Mendes entra na casa dos telespetadores para dar prémios e animar todos aqueles que o vêm. E é do apresentador que se faz o programa, e não o contrário.

O programa já tinha tido uma primeira versão na década 90, com Carlos Cruz e Nicolau Breyner na apresentação. Em 2002, O Preço Certo voltou à antena da RTP, apresentado por Jorge Gabriel. Mas um ano depois, Fernando Mendes assumiu a condução do formato. E ao longo dos últimos 9 anos (com uma pausa em 2005, altura em que esteve no ar o Entre Família, que nunca alcançou o sucesso deste formato), o apresentador e ator tem feito com que o concurso da RTP1, que comemorou na semana passada 2000 emissões, continue a ser um verdadeiro sucesso.

É por isso inevitável constatar que o segredo da longevidade do concurso é só um: as pessoas gostam de Fernando e diariamente acompanham a emissão da RTP, por volta das 19h, sobretudo para ver a boa disposição deste que é apelidado como o ‘gordo’ mas divertido da televisão portuguesa.

 

.

O MELHOR

Os resultados de A Tua Cara Não Me É Estranha | 18/20

https://i2.wp.com/i770.photobucket.com/albums/xx348/espalhafactos/televisao/Apresentadores-A-Tua-Cara-NC3A3o-me-C3A9-Estranha.jpg?resize=150%2C120Que o programa não traz nada de inovador à televisão portuguesa, todos já sabemos. Que A Tua Cara Não Me É Estranha é um programa de puro entretenimento, em que famosos vestem a pele de cantores também eles conhecidos, já não é novidade. Agora, o que é realmente estranho são as audiências do programa. Com shares superiores aos 50%, e com uns espantosos 19,4% de audiência registados este domingo à noite, o programa apresentado por Manuel Luís Goucha e Cristina Ferreira é, dentro do género, o programa mais visto desde os primeiros BB e Quinta das Celebridades.

A que se deve esta grandioso sucesso? Aos apresentadores? Ao formato? Aos concorrentes? Talvez estes fatores tenham algum peso nos resultados. Mas o facto da concorrência não oferecer novidades atrativas à mesma hora (cinema na RTP e o desgastado Ganha Num Minuto da SIC), faz com que toda a gente veja e fale deste que já é considerado pelos portugueses o “programa de Domingo à noite”.

.

O PIOR

O tele-filme da TVI, Até que a Vida nos Separe | 7/20

https://i1.wp.com/i770.photobucket.com/albums/xx348/espalhafactos/televisao/1175lsm.jpg?resize=148%2C104A TVI tem exibido nos últimos sábados uma série de tele-filmes, anunciados já desde o verão de 2011. Estas 26 produções cinematográficas criadas para televisão têm sido exibidas ao sábado à noite, em horário tardio, sempre depois das 23h00 (exceção para Um Pequeno Desvio, que teve início às 22h45). A verdade é que, tendo em conta o investimento, os TVI Filmes não têm sido nenhum sucesso de audiência, registando valores banais para o que a estação costuma obter.

E no sábado passado estreou a produção mais falada deste projeto. Protagonizado por São José Correia e Rui Andrade, esta produção acabou por se resumir às cenas de sexo entre os protagonistas, que deram que falar na apresentação à imprensa e nas entrevistas que os atores deram a revistas e jornais. E para além de não ir muito além das cenas ousadas e dos ‘nus’ das personagens, a própria lógica narrativa deixou muito a desejar. E os resultados deste Até que a Vida nos Separe demonstram que o público não gostou desta produção. Com apenas 20% de share, este foi ainda o tele-filme menos visto nas últimas semanas. E mereceu o resultado.