Rui Reininho levou para casa mais do que um cacho de bananas oferecido, durante o intervalo, por uma fã entusiasta da claque do seu pupilo. O artista nortenho viu o talento do jovem que orientou, Denis Filipe, levar para casa o título de primeira Voz de Portugal.

Após oito meses desta aventura musical, para Catarina Furtado,independentemente de quem tenha ganho“, há a destacar deste projeto “a qualidade” e os “concorrentes com talento” a quem faltava uma oportunidade. “Quem nos dera que o país fosse maior para tanto talento“, confidencia ao Espalha-Factos.

A competição começa mesmo antes dos artistas entrarem em palco para atuarem para as cerca de 900 pessoas que enchiam o estúdio na noite do passado sábado (e para o público que os acompanhava através da RTP). As claques não dão tréguas e gritam entusiasticamente gritos de força para os seus candidatos preferidos à vitória.

A gala começa. Todos os concorrentes cantam Somebody to Love dos Queen. A votação até ao momento indica que Daniel Moreira será o vencedor. Seguem-se Denis, Ricardo e Bianca.

Intensas: assim foram as atuações de Bianca Adrião. A interpretação com Ben Saunders, vencedor d’ A Voz da Holanda, foi mais do que uma mostra de talentos vocais, sendo um momento de grande cumplicidade entre os cantores. Bianca continuou a brincar com os agudos em Satisfaction e os mentores não podiam ter ficado mais satisfeitos com as performances. Rui Reininho até tocou uma bateria imaginária, acompanhando a voz da artista que acabaria por levar para casa o quarto lugar.

O terceiro lugar ficou para Daniel Moreira. O jovem com timbre peculiar juntou-se a outra artista com característica semelhante, Luísa Sobral, que aconselhou os concorrentes a “perceber o que são como músicos“. Mia Rose era uma mentora orgulhosa e a interpretação do concorrente de Blower’s Daughter, o momento mais intimista da gala, só contribuiu ainda mais para tal sensação. Leva para casa não só a medalha de bronze, mas também a promessa de um dueto com a mentora e a amizade da apresentadora.

A Ricardo Oliveira coube a tarefa de começar as interpretações individuais com Your Song de Elton John, deixando Catarina Furtadonostálgica” quanto ao final da caminhada d’A Voz de Portugal. Outro grande momento de Ricardo foi a atuação com Sara Tavares (também ela descoberta num programa apresentado por Catarina Furtado). A amizade e os passinhos de dança davam um toque especial ao dueto. Nem Mia resistiu a dar uns passos de dança na sua cadeira. No momento decisivo, Ricardo acabou por ficar em segundo lugar, tal como já havia acontecido quando participou no Ídolos.

A reviravolta dá-se no último momento. Se Denis nunca conseguia deixar o público parado nas suas apresentações, o momento em que se esperava o nome do vencedor foi de grande silêncio. O rock é visivelmente a praia do concorrente de Torres Novas, mas o dueto com Boss AC pôs toda a plateia a cantar “o hino da nova geração“, Sexta-Feira, mesmo a um sábado.

A grande atuação de Denis, em que deu mesmo o tudo-por-tudo, (e que poderá ter sido a responsável pela mudança repentina do nome que ocupava o pódio praticamente desde o princípio – Ricardo Oliveira) deu-se com a sua versão de Crying dos Aerosmith. Nem Catarina Furtado conseguiu manter-se sentada na cadeira com a energia da actuação.

O público aceitou o pedido de Rui Reininho para ‘votar no xarope‘ e, ao ser anunciado o vencedor, Denis celebrou ainda com mais intensidade o momento. Família, amigos e claque festejaram o momento com grande alegria. Denis ficou tão feliz com o resultado que veio de imediato para junto da claque celebrar a vitória.

Também de alegrias eram os momentos de ligação à Sala Vermelha, de onde na última gala vieram alguns tweets mais ousados que provocaram o riso no estúdio. Do mesmo sítio chegou o anúncio de um CD do programa, a ser lançado a 12 de março, com temas interpretados pelo top 12. O top 4 para além da gravação de um tema e videoclip leva ainda a oportunidade de atuar no concerto de David Bisbal em Lisboa, já em maio.

Para além da homenagem divertida ao júri, foi Catarina Furtado uma das mais surpreendidas da noite. Tanto no vídeo como na interpretação de She que recebeu, a apresentadora mostrou o seu lado mais emocional e comprovou porque é uma das apresentadoras mais queridas dos portugueses. Profissionalismo, inteligência, emoção e beleza são palavras que poderiam descrever a presença de Catarina Furtado ao longo d’A Voz de Portugal.

A final deste novo formato em que a RTP apostou foi um espetáculo interessante de se acompanhar, não só pela qualidade artística como pela sua organização. Num programa em que se procurava ‘a voz’ foram descobertas muitas outras. “Uma noite de boa música“, assim foi a final d’A Voz de Portugal.

Fotografias: Sofia Noronha