Desde 22 de Janeiro, todos os Domingos até meados de Março, o Espalha-Factos vai recordar um actor ou uma actriz, que tenha marcado a sua época, mas que caiu em esquecimento ou não foi suficientemente reconhecido. Percorreremos actores de diversas décadas, até à actualidade. Falaremos da sua vida, carreira, papéis mais icónicos e do legado que deixaram.

Esta semana é a vez de recordarmos Kevin Spacey, actor que se iniciou no teatro, passando depois para o cinema, tendo ganho visibilidade principalmente na década de 90. Agora, que regressou de forma mais permanente ao teatro, recordamos o seu trabalho.

A 29 de Julho de 1959 nasce Kevin Spacey Fowler, em South Orange, New Jersey. O actor cresce na Califórnia e frequenta o liceu Chatsworth High School, em Los Angeles, onde termina o ensino secundário com distinção. Ainda no liceu, participa numa peça de teatro onde interpreta o Capitão Von Trapp, personagem de Música no Coração. É ainda nesta aultura que decide adoptar como nome artístico Kevin Spacey. Em 1979 ingressa na Juilliard School, em Nova Iorque, para estudar teatro. Antes disso, tenta a sorte como comediante, fazendo ocasionalmente espectáculos de stand up comedy.

Kevin Spacey inicia nos anos 80 a sua carreira no teatro, no New York Shakespeare Festival. Em 1982 faz a sua estreia na Broadway e em 1986 a sua carreira no teatro começa já a ter alguma proeminência. Por esta altura, o actor Jack Lemmon torna-se seu mentor e começa a nascer o interesse pelo cinema, não se desvinculando, contudo, do teatro. Participa primeiro em séries televisivas ( The Equalizer e Crime Story), passando depois para as longas-metragens.

Principais interpretações

Em 1995, Kevin Spacey faz uma rápida mas notória participação em Seven – 7 Pecados Mortais, interpretando o serial killer John Doe, e no mesmo ano em Os Suspeitos do Costume. Em 1997, destaca-se no filme L.A Confidential, interpretando um detective, e, dois anos depois, faz aquele que pode ser considerado o papel da sua carreira, em Beleza Americana, onde interpreta um americano suburbano na sua crise de meia-dade. Em 2001 é protagonista novamente em K-Pax, como um extraterrestre. Em 2008, em A Última Cartada, faz de Micky Rosa, um professor que treina alunos do MIT para vencer o sistema nos casinos de Las Vegas. O ano passado, 2011, pudemos vê-lo como um dos Chefes Intragáveis, num registo diferente do habitual.

O teatro Old Vic

Na última década, a presença do actor em filmes é menos frequente, o que se pode justificar através da sua decisão de ser director artístico do teatro Old Vic, um dos mais antigos de Londres. Desde 2003 que Spacey assume esta posição, com um percurso marcado por altos e baixos. Sam Mendes dirige Spacey em Richard III, de Shakespeare, uma peça que desde 2001 se encontra em digressão.

Prémios e reconhecimento

Kevin Spacey conta já com dois Óscares no seu currículo, recebidos em 1996 e 2000. O primeiro deveu-se ao seu papel em Os Suspeitos do Costume, como Melhor Actor Secundário e o outro Óscar foi-lhe atribuído pelo seu papel em Beleza Americana. De facto, Beleza Americana foi o filme que lhe valeu mais nomeações e prémios: um BAFTA em 2000, vários prémios atribuídos por associações de críticos e ainda a nomeação para um Globo de Ouro, como Melhor Actor.  No seguimento deste filme, em 1999, Spacey ganhou também uma estrela no passeio da fama.

Singularidades

O actor é reservado no que diz respeito à sua vida pessoal. Sem que haja conhecimento de algum casamento, surgiram questões acerca da sua orientação sexual, levantando a possibilidade de homossexualidade.  Estes rumores foram várias vezes desmentidos pelo actor, que afirma não ser gay.

Kevin Spacey é ainda conhecido pelas imitações que faz, uma particularidade sua divulgada em Hollywood, especialmente depois da ida do actor ao programa Inside the Actors Studio, num vídeo que pode ser visto na íntegra aqui:

*Por opção da autora, este artigo foi escrito segundo as normas do Acordo Ortográfico de 1945.