Estreamos hoje uma nova rubrica musical no Espalha-Factos, Gira o Disco, que acompanhará durante os próximos meses a vida e carreira de alguns dos mais influentes vultos na história da música mundial, passando por várias décadas – desde os anos 50 até aos anos 90. Recordamos neste primeiro artigo, uma das maiores e mais emblemáticas figuras do jazz do século XX: Frank Sinatra.

Sinatra nasceu a 12 de Dezembro de 1915, em Hoboken, Estados Unidos. Filho de pais imigrantes italianos, Frank teve uma carreira recheada de sucessos e, hoje em dia, é considerado a voz do jazz.

Foi nos anos 30 que o cantor deu os primeiros passos no mundo da música. Estávamos na Swing Era, período em que as canções das Big Band (grupo instrumental associado ao jazz) eram o tipo de música popular nos Estados Unidos. Esta foi a sua rampa de lançamento. Ao fim de alguns anos, a voz do rapaz de olhos azuis ecoava por todo o mundo.

Levou-nos a vários sítios e quis que o levássemos a outros tantos. Mostrou-nos New York, nos anos 70 e contou-nos como ser parte desta grande cidade que nunca dorme e fez-nos apaixonar por esta Big Apple que transbordava histórias em cada esquina.

http://www.youtube.com/watch?v=Fq4OP5mVc_8&feature=related

Pediu-nos para que o levássemos à lua e nós fizemos-lhe a vontade, com o êxito Fly me to the moon, que já sofreu diversos covers pelos cantores da actualidade. A grande particularidade e ligação do público com o cantor norte-americano era mesmo essa: obedecer-lhe generosamente. Uma voz doce e um pedido irrecusável.

Sempre encantador e atento, em 1968 lança a versão inglesa da música Comme d’habitude, de Claude François. My Way, é uma das músicas mais conhecidas de Frankie, mas foi com Strangers In The Night que venceu, em 1966, o Grammy de Música do Ano e Melhor Performance Masculina.

http://www.youtube.com/watch?v=sbnNr4FzPXg

Esta voz do jazz dos anos 30 não se limitava apenas à música. Ainda nos inícios da sua carreira, Frank Sinatra enveredou pelos caminhos da sétima arte. Las Vegas Nights (1941), The House I Live In (1945), Young at Heart (1955) e That’s Entertainment (1974) foram alguns dos êxitos de cinematográficos de Sinatra.

E tudo comprovava que o cinema era também o seu mundo. Em 1953 ganha o Óscar de Melhor Actor Secundário pelo filme A Um Passo da Eternidade e, dois anos depois, é nomeado para Melhor Actor no filme O Homem do Braço de Ouro. Para além disso, em 1972 ganha o Óscar humanitário pelo seu trabalho e desempenho, pela devoção ao cinema e ao jazz.

A nível pessoal, Frank teve uma vida atribulada. Superou três divórcios (Nancy Barbato, Ava Gardner, Mia Farrow) e teve três filhos, Nancy Sinatra, Frank Sinatra Jr e Tina Sinatra. Porém, quando tudo parecia correr mal, conquistava duas estrelas no Passeio da Fama, uma pelo seu trabalho no mundo da música e outra pelo seu trabalho na televisão americana.

A voz do mundo do jazz parou de fazer shows em 1995, com 80 anos, devido à sua saúde debilitada. A 14 de Maio de 1998, Frank Sinatra morreu de ataque cardíaco, em Los Angeles. Actualmente encontra-se sepultado no Desert Memorial Park, na Califórnia.

http://www.youtube.com/watch?v=wOXucXCu8Rw

Frank Sinatra é um cantor de todas as gerações. Desde sempre, influenciou músicos das mais diversas áreas musicais e inspirou dezenas de canções. A sua voz, estará sempre associada ao jazz e ao homem que nos mostrou Nova Iorque. Ainda assim, foi com o seu próprio jeito que vingou na música, no cinema e na sua vida pessoal e tornou-se uma figura eterna.

*Por opção da autora, este artigo foi escrito segundo as normas do Acordo Ortográfico de 1945