O Festival Grito Rock chega hoje a Braga. Realizado há dez anos no Brasil, chega ao nosso país depois de já ter passado por 200 cidades em todo o mundo. O Grito Rock, «uma plataforma eficaz na circulação de artistas mundiais» vai ter a sua edição portuguesa no âmbito da Capital Europeia da Juventude

Gabriel Ruiz, organizador do evento, defende o festival como criador «de cenários diversos, incentivando a produção de arte independente local, através da música e de ideias específicas que estimulam, por exemplo, as artes visuais, o cineclubismo…». Trazer um «projeto musical brasileiro» para a Europa é importante por estabelecer contactos e «abrir caminho» para que outras cidades participem e conheçam a «lógica colaborativa» do Grito Rock, que este ano completa 10 anos de existência.

Braga dá o grito a 23, 24 e 25 de fevereiro. Hoje, amanhã e sábado.

Dia 23 (hoje), a partir das 21h30, acontece uma mostra de documentários no auditório da FNAC, no Braga Parque. Iniciar-se-à com o filme Bollywood Dream, de Beatriz Seigner. Esta narrativa envolve três atrizes brasileiras que vão tentar a sua sorte na indústria cinematográfica indiana. Quando inseridas na vibrante cultura de Bollywood, os seus sonhos mudam e adaptam-se aos contrastes entre oriente e ocidente, ancestral e novo, individualismo e coletividade.

Este filme será distribuído através do Compacto.Cine, o novo modelo de distribuição da DF5, uma distribuidora de filmes que disponibiliza gratuitamente o seu espólio para exibições online e downloads gratuitos. Este projeto de distribuição, que irá lançar longas e curtas metragens independentes de dois em dois meses tem a sua estreia durante o Grito Rock. Sabe tudo sobre isso no site oficial.

Amanhã, dia 24, a programação segue com um sarau em que todos os interessados poderão levar os seus trabalhos para expôr na Casa das Coimbras – Largo de Santa Cruz, 506. Este evento inteligará música e poesia, num ambiente intimista onde artistas e públicos poderão conviver proximamente, permitindo a manifestação artística livre e a fluidez das trocas culturais. É a partir das 21h30.

O encerramento deste festival dá-se no sábado, no Insólito Bar, a partir das 23 horas. As bandas Burning Man e Crápula, bem como os DJs Kulture Brothers e Rubens Martinez serão quem dará por terminada a primeira edição deste festival em terras da Europa.