Dia 10 de março juntam-se no Campo Pequeno nomes conhecidos do panorama musical português para um concerto solidário, entre eles Clã, Ana Moura, Cuca Roseta, Deolinda, Anaquim, António Zambujo e Luísa Sobral, todos num espetáculo que pretende ajudar a Associação Novo Futuro.

Este concerto de solidariedade tem como objetivo ajudar dezenas de crianças, sendo que a iniciativa de oferecer um bilhete para ajudar uma criança começou no Natal. Deste modo, dia 10 de março o Campo Pequeno acolhe esta grande iniciativa, trazendo grandes nomes do fado e nomes de referência da música portuguesa atualmente. Espera-se um concerto muito diversificado e cheio de boas energias: “Entre canções e sorrisos, espera-se uma noite de muita música, esperança e boa disposição, cuja receita reverte a favor da Associação Novo Futuro“, garante a promotora Música no Coração no seu comunicado de imprensa.

Os bilhetes estão à venda nos locais habituais e custam entre 15 e 32 euros.

Sobre a Associação Novo Futuro

Em traços gerais a Associação Novo Futuro foi criada em 1996 e apoia crianças e  jovens, com preferência a grupos de irmãos, sem qualquer distinção racial, religiosa, de sexo ou idade, que estejam sem lar estável. esta associação tenta sempre proporcionar um lar a estas crianças e jovens, num âmbito de acolhimento prolongado, tendo cada lar um número reduzido de crianças que pode acolher, de modo a garantir uma estrutura em tudo semelhante à normalmente conhecida como familiar. Cada lar acolhe cerca de oito crianças/jovens que são acompanhados por voluntários especializados. As crianças e jovens frequentam a escola, cursos e atividades de tempos livres, religiosas, desportivas, na comunidade onde habitam. Sendo o principal objetivo desta associação ter as suas crianças integradas plenamente na comunidade que as recebe.

A Novo Futuro já acolheu cerca de 112 crianças e jovens e tem sete lares (seis em Lisboa e um em Vila Nova de Gaia), lá residem 66 crianças, sendo que 46 já estão integradas ou na sua família de origem, ou numa família de acolhimento, em instituições especializadas ou têm plena autonomia.