O cantor norte-americano de 85 anos fez alguns comentários sobre esta sua luta após ter ganho um Grammy fruto da colaboração com Amy Winehouse.

Após ter ganho o Grammy com a canção Body and Soul resultado de um dueto com a falecida cantora Amy Winehouse, Tony Bennett revelou o seu desejo de querer tornar todas drogas legais.

Ainda com o drama da morte de Whitney Houston bem presente na memória, Bennett revelou à revista Rolling Stone a sua intenção e que recebeu feedback positivo face à legalização isto porque esta iria: “livrar-se de todos os bandidos que fazem com que as pessoas se escondam. Uma coisa que eu aprendi sobre os jovens é que se lhe disseres para não fazerem uma coisa, é exactamente essa coisa que eles vão fazer e experimentar. Quando se tornarem legais, toda a gente vai poder experimentá-las, deixando por isso o desejo de as experimentar.”.

Bennett que já combateu o vício do consumo de cocaína, continuou “Testemunhei que em Amesterdão é legal, como tal não há pânico nas ruas. Não há promoções. Não há o ‘Encontra-te comigo na esquina que eu vou dar-te algo..’. Tu estás sempre com o medo que vais ser preso, que tens que te esconder. Para quê continuar isto?”.

Tony Bennett levantou o Grammy  de Melhor Performance Pop por um Duo ou Grupo com Amy Winehouse que foi representada pelos seus pais Janis e Mitch. “Nós não devíamos estar aqui.” disse Mitch no discurso da entrega do prémio que acrescentou “A Nossa querida filha é que devia estar aqui.”