Numa semana em que, mais uma vez, pouco se alterou nos números da televisão nacional, o Espalha-Factos lança um olhar especial sobre as audiências dos principais formatos informativos da televisão portuguesa.

Mais uma vez, a última semana não trouxe grandes novidades nas audiências da televisão nacional. A TVI foi o canal líder durante todos os dias da última semana, apoiada nos mesmos programas que lhe vão dando a vitória nos últimos meses. Desta vez, foi A Tua Cara Não Me É Estranha que ganhou o título de programa mais visto da semana, com um rating de 16,9% e um share superior a 50%. Para trás, ficou a aposta da SIC: Marco Horácio e o seu Ganha num Minuto, conseguiram um share de 17,8%, valor abaixo do obtido na última semana e muito longe do que a TVI obteve. Mesmo assim, neste domingo, a TVI ficou atrás do conjunto dos canais do Cabo, obtendo um share total de 29,5% contra 30,2% do Cabo.

No sábado, a liderança de Queluz veio alimentada pelo futebol. A transmissão do jogo Benfica X Nacional foi o programa mais visto do dia, com um rating de 15,7% e um share de 40,1%. No TOP Diário de sábado seguiram-se os informativos dos diferentes canais, ficando Até A Verdade em 6º lugar. O último programa da série foi dedicado ao mediático caso de Madeleine McCann, o que não alterou as audiências do mesmo. O programa de sábado obteve um rating de 7,3%, valor ligeiramente inferior ao que o último programa, transmitido no dia 28 de Janeiro, tinha obtido – 7,4%.

Nos restantes dias da semana, a liderança da TVI foi construída com os bons resultados da ficção nacional, encabeçada por Doce Tentação.

Esta semana, é também de destacar o bom resultado obtido pelo novo programa informativo da RTP1. Sexta às 9 obteve um rating de 11,2%, correspondendo a 26,6% de share. Esta estreia, dedicada ao homicídio de Rosalina Ribeiro, conquistou o quarto lugar no TOP Diário de sexta-feira, dia 10 de Fevereiro, atrás de Doce Tentação (TVI), do Telejornal (RTP1) e do Jornal das 8 (TVI).

Aproveitamos o bom resultado desta nova aposta da Informação da RTP1 para analisar a reacção dos telespectadores aos diferentes programas informativos, durante esta semana. Começando pelos noticiários das 13h, o share obtido pelos diferentes informativos é bastante próximo, sobretudo entre a RTP1 e a TVI, com uma pequena vantagem para o canal público. Entre segunda e sexta-feira, o Jornal da Tarde obteve um share médio de 30,16% contra 29,76% do Jornal da Uma (TVI) e 26,66% do Primeiro Jornal (SIC).

Nos noticiários da noite, a TVI veio, esta semana, acabar com a liderança que o Telejornal detinha. Entre os dias 6 e 10 de Fevereiro, o Jornal das 8 obteve um rating médio de 12,18%, tendo sido o programa informativo líder durante toda a semana, com excepção da sexta-feira, em que esta liderança coube à RTP1. No mesmo período, o Telejornal obteve um rating médio de 11,12% e o Jornal da Noite de 10,84%.

No fim de semana, o jogo das audiências muda, beneficiando, principalmente, a estação de Carnaxide. No sábado, o Primeiro Jornal venceu os seus concorrentes directoscom um share de 26,7%, próximo dos 26,3% (TVI) e 25,7% (RTP1) dos seus concorrentes. A vantagem do Primeiro Jornal aumentou consideravelmente no domingo, em que obteve um share de 34,8%, valor muito superior aos obtidos pela concorrência: o Jornal da Tarde ficou-se pelos 24,2% e o Jornal da Uma pelos 22,7% de share.

Já nos noticiários da noite, o factor Marcelo Rebelo de Sousa altera as contas. Enquanto que a SIC liderou no sábado, no domingo é a TVI que leva a melhor, com larga vantagem. O Jornal das 8 alcança um rating de 13,2% e é o segundo programa mais visto do dia. Para trás ficam a informação da RTP e da SIC: 10,6% de share para o Telejornal e 9,7% para o Jornal da Noite.

Para além dos noticiários, há ainda que ter em atenção os restantes formatos de informação do canal público. A RTP1 aposta em reportagens e entrevistas fora do seu espaço informativo, sendo assim possível analisar as audiências dos mesmos. O formato U-24, série documental sobre o dia-a-dia nas urgências hospitalares, obteve um rating de 7,4%. Embora ficando atrás da concorrência privada, este resultado é superior ao que foi alcançado por O Elo Mais Fraco (RTP1), no mesmo dia.

Segunda-feira é ainda dia da transmissão de Prós e Contras. Esta semana, o programa foi especialmente dedicado à temática do desemprego mas, mesmo assim, não conseguiu conquistar o público, tendo obtido um share de 14,0%, valor inferior aos obtidos pela ficção da SIC e TVI durante o mesmo período de tempo.

Nos restantes dias, a RTP aposta também em formatos informativos logo a seguir ao Telejornal, formatos esses que obtém sempre valores semelhantes, a rondar os 7% de rating. Em semana de duas sessões de Grande Entrevista, é de destacar o resultado ligeiramente mais positivo obtido pela entrevista a Luís Filipe Vieira. A entrevista ao presidente encarnado foi ligeiramente mais vista do que a entrevista ao líder do Partido Socialista, obtendo um rating de 7,3% contra o 7,1% da entrevista a António José Seguro. No entanto, o destaque da semana vai mesmo para o resultado de Sexta às 9, como já aqui foi referido.

Na visão global da última semana, não há grandes novidades, quer nas posições, quer nos valores de share obtidos. O conjunto de canais do Cabo lidera com 27,2 de share, resultado muito semelhante ao da semana anterior. Já a TVI subiu um ponto percentual, ficando-se pelos 26,7%. A SIC ocupa o terceiro lugar com 22,5% de share, à frente dos canais do Estado. A RTP1 soma 19,8% de share e o segundo canal fica-se pelos 3,8% de share.

* Dados de Audiência apurados pelo Telereport da Marktest referentes à semana de 6 de janeiro a 12 de fevereiro de 2012.