Texto sobre o segundo Dia Mundial da Rádio, a 13 de fevereiro de 2013, aqui.

Hoje é o Dia Mundial da Rádio e para celebrar esta data marcante, as rádios nacionais unem-se  para homenagear este meio de comunicação social com mais de 70 anos de existência.

A Academia Española de la Radio propôs e o Conselho Executivo da UNESCO declarou oficialmente o 13 de fevereiro como o Dia Mundial da Rádio. A data assinalada foi escolhida pela sua importância histórica, pois neste dia, em 1946, foi estabelecido o conceito United Nations Radio. Pela primeira vez a rádio recebe um reconhecimento internacional com uma data que nunca mais vai ser esquecida. Apesar do surgimento da televisão e da internet, a rádio não se eclipsou e soube adaptar-se às mudanças tecnológicas.

A rádio acompanha-nos desde sempre e foi através das suas emissões que vários momentos da história se fizeram ouvir. A Antena 1 recupera algumas das canções e acontecimentos chave que tiveram impacto no nosso país por meio da rádio, tais como a senha do 25 de abril, as mensagens dos soldados portugueses em África,  a Guerra dos Mundos de Matos Maia, a entrada na CEE e também a entrega do Nobel a José Saramago.

Também a Antena 3 dedica o seu período matinal ao tema rádio. O programa Prova Oral debruça-se sobre o encontro que se realiza em Lisboa e que conta com a presença de estudantes, investigadores, profissionais e ex-profissionais da rádio. Nesta palestra são abordados a investigação sobre radiodifusão em Portugal e a rádio como um meio social, culminando com uma tertúlia que abarca o passado e o presente das emissões de rádio.

Já a RDP Internacional promove esta data a todos os portugueses espalhados pelo mundo com uma emissão especial compreendida entre as 7h e a meia-noite.

Enquanto no fórum das 10 da manhã, Jaime Ferreira de Carvalho conversa com Jorge Gonçalves (Diretor das Antenas Internacionais) e João de Sousa (Professor Universitário de Ciências  da Comunicação) acerca da radiodifusão portuguesa e as suas atuais funções. À tarde, pelas 16 horas, Joaquim Pantaleão apresenta o espaço jovem e convida Jorge Alexandre Lopes e Ricardo Tomé a refletir sobre o futuro deste meio de comunicação.

Entre as 20h e 22h, Elisa Portugal recorda as antigas vozes da rádio e a partir das 23h, a celebração termina com a emissão especial Casa dos Fados, da autoria de Luís Sarmento, um registo histórico em exclusivo para a rádio.

Não só as rádios públicas assinalam este dia, também o grupo r/com, ao qual pertencem a Rádio Renascença, RFM e Mega Hits, não vai deixar esta data em branco. Como para a Rádio Renascença o importante são as pessoas, a rádio vai dar lhes voz, transmitindo o depoimento de várias personalidades do mundo da música, do jornalismo, do teatro, da televisão, da política e da igreja. D. José Policarpo, D. Manuel Clemente, Tim e Zé Pedro  dos Xutos e Pontapés, Ricardo Carriço, Eunice Muñoz, Roberta Medina, Margarida Pinto Correia e Clara de Sousa são alguns dos nomes que aparecem na longa lista de convidados da Renascença e que vão dar testemunho da sua grande paixão pela rádio.

É remexendo no baú das antiguidades e das vozes em arquivo, que recordamos o que a rádio transmitiu aos portugueses e como mudou a sua mentalidade. Na rádio descobrimos o poder da palavra que nos envolve e conecta com o mundo. Um agradecimento especial a todas as rádios que marcaram a nossa vida.