São coloridos, divertidos e fizeram parte da nossa infância. Falamos, claro, dos Marretas. Quem não se lembra dos seus pequenos videos antes dos filmes da Disney nas antigas cassetes em VHS? Neste caso é curioso observar-se o inverso, pela primeira vez os Marretas são os protagonistas no grande ecrã e é uma pequena curta da Disney, do famoso Toy story, que abre a sessão.

Eles estão de volta num filme que mistura o mundo dos fantoches com a realidade. O filme tenta recordar o show dos Marretas e as personagens que entretinham toda a família, organizando um come back das estrelas do Muppet show. Faz também uma homenagem aos Marretas, mostrando o seu descontentamento perante o encerramento dos episódios. A mensagem é clara: enquanto houver Marretas há esperança.

Neste filme seguimos a vida de Walter, o maior fã dos marretas, que sempre viveu com o seu irmão humano. O  show dos Marretas marcou a sua infância, tal como a de muitos outros adultos. O seu maior sonho é visitar os estúdios, onde actuaram os seus heróis, revivendo assim o passado. Quando finalmente chega aos estúdios, Walter descobre que o poderoso Richman, empresário de petróleo, pretende demolir o edifício. Para salvar os estúdios, ele decide reunir os Marretas e impedir que a sua memória caia no esquecimento. Nesta aventura voltamos a encontrar o Sapo Cocas, a Miss Piggy e toda a sua companhia num espetáculo, que poderá ser o primeiro de muitos.

Para além do fantoche Walter e dos famosos Marretas, outras personagens também foram intoduzidas no filme para enriquecer a história, como o irmão Gary, a namorada Mary e o empresário malvado Richman. O ator Jason Segel, o famoso Marshall na série How I Met Your Mother, interpreta Gary, o irmão humano que também se sente um pouco Marreta. Apesar de não ter tido uma prestação surpreendente, conseguiu criar uma empatia com a audiência. Já Amy Adams assentou perfeitamente na sua personagem Mary e foi bastante convincente ao longo da história. Por fim, Chris Cooper encarnou muito bem o papel de vilão, Richman, e é curioso vê-lo num filme infantil, visto que entrou num registo completamente distinto daquele em que estamos habituados a vê-lo.

O que menos favoreceu o filme foram as partes musicais que, principalmente na versão portuguesa, interrompiam a ação da trama e não acrescentavam nenhum conteúdo ao tema a ser tratado. Surgiam em momentos cruciais do filme, tendo letras muito pobres e pouco originais. Em contrapartida, o ponto mais alto da história foi a recriação de um episódio do show dos Marretas ao vivo, um espetáculo televisivo com o intuito de arrecadar a quantia necessária para salvar os estúdios. A ação entre o backstage e o palco foi sublime, bem como o manuseamento dos fantoches durante o espetáculo, que quase se assemelhavam a seres humanos com os seus movimentos minuciosos.

Este filme familiar com uma mensagem bem produzida, pode ser visto por todas as idades. Para os adultos é interessante voltar a ver Os Marretas em ação, para os mais jovens a moral da história é transmitida com sucesso: é preciso acreditar nos sonhos, porque, apesar de todos os contratempos, unidos é possível torná-los realidade.

7/10

Ficha técnica

Título original: The Muppets 

Realizador: James Bobin

Argumentista: Jason Segel e Nicholas Stoller

Elenco: Jason Segel, Amy Adams, Chris Cooper

Género: Comédia, Musical, Familiar

Duração: 103 minutos