A Sala Manoel de Oliveira do Cinema S. Jorge, em Lisboa, estava cheia para receber a abertura da nona edição do festival Kino – Cinema de Expressão Alemã, organizado pelo Goethe Institut.

O primeiro dia do festival de cinema que se estende até 3 de fevereiro teve como ponto forte o humor. A curta A Visita e a longa-metragem Almanya – Bem-vindos à Alemanha, ambas produções germânicas, foram as responsáveis por soltar umas boas gargalhadas na sala de cinema da Avenida da Liberdade.

A Visita (Der Besuch) – 8/10
Uma idosa caricata e com problemas com o seu fogão é o ponto de partida para a curta de animação, da responsabilidade de Conrad Tambour, que abriu o Kino em 2012.

Durante cerca de 9 minutos, conhecemos a história de uma mulher que decide a meio da noite cozinhar para uns amigos seus que faleceram já há algum tempo. O filho, horrorizado com a situação, aconselha-a a ir dormir porque os convidados nunca chegariam. A verdade é que eles acabam por chegar.

Um trabalho de grande simplicidade marcado por um humor natural e decorrente das situações. Um grande rigor na caracterização das personagens, cujos traços peculiares despoletam a gargalhada. Uma história que agrada, sem sombra de dúvida, aos mais miúdos e aos mais graúdos.

httpv://www.youtube.com/watch?v=AME4mNW531I

 

Almanya – Bem-vindo à Alemanha (Almanya – Willkommen in Deutschland) – 8/10

Galardoada em 2011 duas vezes com o Prémio de Cinema Alemão, bem como merecedor do Prémio do Público do Festival Internacional de Chicago e do Festival de Cinema de Odessa, foi à comédia de Yasemin Samdereli que couberam também honras de abertura.

A história de uma família turca que emigra para a Alemanha em busca de uma vida melhor. Perante uma realidade completamente nova, muitas são as situações hilariantes pelas quais esta família vai passando para realmente saber qual é o seu lugar no mundo.

Uma história que cativa pela necessidade de nos definirmos enquanto membros de uma pátria, seja ou não aquela em que nascemos. Uma viagem de regresso à Turquia, onde estão fixadas as raízes desta família, e uma descoberta das próprias personagens, daquilo que constrói a sua identidade, é o que nos propõe esta comédia.

Porque todos somos o reflexo da história que se desenrolou antes de nós, nesta história o passado e o presente (bem como o próprio futuro) partilham lugar em cena para tornar os espetadores parte deste clã.

Os alemães comem carne de porco e seres humanos”, dizem os pequenos habitantes de Anatólia, terra de onde provém esta família. Neste contacto com a cultura alemã, esta família turca é confrontada com os mais diversos mitos e estereótipos, que acabarão por deitar por terra. Uma integração de uma nova pátria, de novos costumes, de novas rotinas, sem nunca esquecer a terra que se deixou para trás.

Uma proposta interessante que nos solta as mais sinceras risadas mas que também nos deixa a pensar de que matéria somos feitos e como nos entrelaçamos todos nesta árvore que é a vida.

httpv://www.youtube.com/watch?v=MzWWObywANQ