O Gato das Botas apresentou-se ao mundo em Shrek 2, e, desde então, a sua personagem rebelde e sedutora, munida de um inestimável sotaque espanhol e um sentido de humor muito próprio, fizeram as delícias do público. Mas seria ele capaz de aguentar um filme inteiro sozinho? Mais ou menos. A resposta está em não pensar muito nisso e apreciar apenas os momentos de comédia.

Muito tempo antes de conhecer Shrek, o Gato das Botas (Antonio Banderas/Paulo Oom) parte numa jornada heroica com Humpty Dumpty (Zach Galifianakis/João Cabral) e Kitty (Salma Hayek/Soraia Chaves) para roubar o famoso ganso que põe Ovos de Ouro.

A narrativa de O Gato das Botas é, na sua generalidade, bem trabalhada. Entrelaçando contos de fadas do imaginário da nossa infância de forma inteligente, sem deixarem de adicionar o elemento chave da imprevisibilidade, o filme é capaz de cumprir aquilo que promete: entreter. Mas falta-lhe algo.

Cada vez mais os filmes de animação procuram apaixonar miúdos e graúdos, e tornar as suas histórias capazes de competir com qualquer outra do cinema. Procuram ser profundos, empolgantes e memoráveis, entranhar-se nas conversas do dia-a-dia não só das crianças como também dos adultos. E conseguiram, em muitos casos, fazê-lo: Toy Story 3 é um dos exemplos mais recentes disso mesmo.

O Gato das Botas não alcança esse patamar em momento algum do filme, primando por um lado mais superficial da animação. Existem momentos inegáveis de clara falta de coerência no guião, que apenas às crianças passarão despercebidos. Mas não nos deixemos enganar por isso: apesar de não ser memorável, não deixa de ser bom. E é-o sobretudo graças a Antonio Banderas, que, com a sua voz poderosa e sedutora, concede um realismo e vigor extraordinários ao Gato das Botas. Para os que preferirem a dobragem em português, também não sairão desiludidos com a prestação de Paulo Oom. Apesar não de ter o encanto de Antonio Banderas, consegue, também ele, calçar as botas com paixão.

E é graças a eles que nos esquecemos por uns momentos dos defeitos e lacunas do filme, permitindo-nos simplesmente rir às gargalhadas. A premissa de O Gato das Botas é essa mesma: deixemo-nos levar pelo humor da história, sem perder muito tempo a analisá-la. Às vezes o cinema também necessita desses momentos mais light.

7/10

Ficha Técnica

Título original: Puss in Boots

Realizado por:   Chris Miller

Escrito por: Tom Wheeler, David H. Steinberg, Brian Lynch

Vozes (versão original): Antonio Banderas, Salma HayekZach Galifianakis, Billy Bob Thornton, Amy Sedaris, Constance Marie, Guillermo del Toro

Vozes (versão portuguesa): Ana Padrão, João Cabral, Luís Mascarenhas, Maria João Abreu, Paulo Oom, Pêpê Rapazote, Soraia Chaves

Género: Animação, Aventura

Duração: 90 minutos